nsc
nsc

Articulações

PSL-SC se afasta de Moisés e se aproxima de Merisio para projeto comum em 2022

Compartilhe

Upiara
Por Upiara Boschi
11/03/2021 - 18h08
Antonio Rueda e Fábio Schiochet, dirigentes do PSL, alinham aliança com Gelson Merisio (PSDB)
Antonio Rueda e Fábio Schiochet, dirigentes do PSL, alinham aliança com Gelson Merisio (PSDB) (Foto: Divulgação)

Está cada vez mais próxima do fim a relação entre o PSL e o governador Carlos Moisés. Um gesto emblemático do afastamento aconteceu nesta quinta-feira, quando o deputado federal e presidente estadual da sigla, Fábio Schiochet, levou o vice-presidente nacional Antonio Rueda para um encontro com o ex-deputado estadual Gelson Merisio (PSDB), adversário de Moisés no segundo turno em 2018.

Upiara Boschi: Moisés abre governo para maiores partidos de SC e aposenta a nova política

Mais do que uma foto, o encontro é a retribuição à visita feita por Merisio a Rueda em Brasília semanas atrás, quando começou a ser pavimentada uma aliança visando as eleições de 2022. Pelo projeto, o PSDB de Merisio e o PSL, sem Moisés, caminhariam juntos na disputa. Assim, o tucano vai trabalhar com Schiochet para a construção das nominatas pesselistas para deputado federal e estadual.

Merisio diz que com Moisés SC passa por "tempestade sem alguém que saiba pilotar o avião"

Moisés e o PSL estão em processo de afastamento desde que o governador teve arquivado o primeiro processo de impeachment, em novembro do ano passado. Na época, o governador deu início a uma coalizão com MDB, Progressistas e outras siglas visando a reconstrução da base parlamentar - um processo avalizado pelo ex-presidente da Alesc, Júlio Garcia (PSD), e iniciado com a nomeação de Eron Giordani para a Casa Civil.

O novo momento de Moisés chega ao segundo e terceiro escalões do governo

Desde então, Schiochet e outros membros do PSL têm mostrado desconforto com o ingresso de nomes de outros partidos em postos antes ocupados por pesselistas. Ao mesmo tempo, Moisés deu sinais de que pretende deixar o partido em que foi eleito em 2018, a bordo da onda que elegeu o presidente Jair Bolsonaro - que deixou a sigla em 2019. Schiochet explicitou a divergência ao negar que as recentes nomeações para cargos no governo da ex-prefeita de Fraiburgo, Claudete Mathias (PSL), e do suplente de vereador de Florianópolis Gabriel Euclides Lemos tenham a chancela do partido.

- Eu não fiz uma indicação no governo. Esses cargos que estão sendo indicados não são indicações do PSL. Nenhum desses cargos, inclusive o Buligon. Exoneraram mais de 20 cargos de indicação do PSL nos últimos 30 dias - reclamou Schiochet.

O presidente estadual fez referência à posse do ex-prefeito chapecoense Luciano Buligon (PSL) como secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável, decisão pessoal de Moisés. Em setembro do ano passado, Schiochet chegou a intervir no diretório municipal do PSL para tentar impedir a aliança com o Patriota alinhavada por Buligon.

Moisés tem convite do Republicanos para filiação, mas ainda acredita que possa conquistar junto ao presidente nacional do PSL, deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE) o controle da sigla no Estado. A participação de Rueda, aliado de Bivar, nas articulações com Merisio para 2022, indica que a chance do governador controlar o PSL catarinense é ínfima.

Merisio admitiu que pretende construir um projeto conjunto com PSDB e PSL para as próximas eleições, negando a possibilidade de deixar o ninho tucano - onde está desde 2019, após deixar o PSD em que concorreu a governador. Merisio diz que agenda com os pesselistas não é apenas política.

- Fui procurar o PSL, que ainda é o partido do governador, para discutir como podemos compensar em Brasília esse apagão de autoridade e liderança que o Estado está vivendo - afirmou.

Receba os textos, lives, podcasts e comentários na NSC TV de Upiara Boschi no WhatsApp clicando no aqui Para receber no Telegram, é só clicar em https://t.me/upiaransc

Upiara Boschi

Colunista

Upiara Boschi

Faz a leitura e a análise do contexto do cenário político de Santa Catarina, com informações de bastidores. Explica motivações e consequências das principais decisões tomadas nos poderes do Estado.

siga Upiara Boschi

Upiara Boschi

Colunista

Upiara Boschi

Faz a leitura e a análise do contexto do cenário político de Santa Catarina, com informações de bastidores. Explica motivações e consequências das principais decisões tomadas nos poderes do Estado.

siga Upiara Boschi

Mais colunistas

    Mais colunistas