De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), cerca de 30% dos brasileiros são hipertensos. Essa é uma doença crônica que não apresenta sintomas na maioria das vezes, mas pode evoluir e gerar complicações graves – inclusive para as mulheres grávidas. A seguir, as médicas cardiologistas Dra. Isa Bragança e Dra. Marly Uellendahl respondem algumas dúvidas sobre hipertensão durante a gestação.

Continua depois da publicidade

> Clique aqui e receba notícias no WhatsApp

1. Mulheres hipertensas podem engravidar?

Ela deve consultar o médico para que ele indique uma medicação específica. Nem todos os remédios para a pressão alta podem ser usados durante a gravidez. Uma hipertensa pode ou não apresentar pré-eclâmpsia.

2. O que é pré-eclâmpsia?

Consiste na retenção de líquido e inchaço, eliminação de proteína pela urina e aumento da pressão arterial. A pré-eclâmpsia pode evoluir para eclâmpsia, uma forma grave da doença, se não forem tomados os cuidados necessários.

3. Quais são os riscos da pré-eclâmpsia?

Há o risco de convulsão que promove descolamento de placenta, parto prematuro e mau funcionamento do rim. Em casos muito graves pode haver sequela neurológica ou paralisia.

Continua depois da publicidade

4. Quais são os sintomas da pré-eclâmpsia?

Os mais comuns são dor de cabeça, inchaço exagerado, dor na região superior do abdômen e pontos brilhantes na visão. Mas algumas mulheres não apresentam sintomas.

> Entenda as mudanças na vida sexual durante a gravidez

Mulher grávida sentada levantando peso com instrutor do lado
Prática de exercícios durante a gestação deve ser indicada por um obstetra (Foto: Shutterstock)

5. A gestante pode praticar exercícios físicos?

Depende. Há casos em que a obstetra irá indicar atividades físicas mais leves ou repouso. Se a gestação for tranquila, é indicado que pratique exercícios, mas sempre com a autorização do médico.

6. Quais são os riscos para as mães?

Tanto uma mulher que adquire hipertensão durante a gravidez quanto uma mulher que já tinha hipertensão, caso não controlem o quadro, podem sofrer convulsões, diabetes gestacional, acidente vascular cerebral (AVC), infarto e insuficiência renal e complicações que podem, inclusive, levar à morte.

A hipertensão também causa o envelhecimento precoce da placenta, impedindo a passagem de nutrientes para o bebê de forma normal. Isso causa sofrimento ao bebê, e pode levar a fazer o parto antes da hora.

Continua depois da publicidade

7. A hipertensão continua após o nascimento do bebê?

Se a mulher for uma hipertensa crônica, a doença permanece, pois já engravidou com o problema. No caso da eclâmpsia, adquirida na gravidez, ela é curada logo após o parto. Sai com a placenta.

> 11 nutrientes importantes para consumir durante a gravidez

8. Inchaço é sinal de que a pressão está alta?

Não. O inchaço na gravidez pode ser sinal de alteração hormonal, na função renal ou excesso de sal. Mas se esse sintoma vier acompanhado de dores de cabeça, por exemplo, é melhor consultar o médico porque pode ser sinal de pré-eclâmpsia.

9. Qual exame é solicitado quando a gestante está com suspeita de hipertensão?

O aumento da pressão é determinado por meio de exame físico e observação do inchaço. O exame de urina é solicitado para verificar o aumento de proteínas na urina e de enzimas do rim.

10. Qual é o método de prevenção da doença na gestação?

Uma dieta com pouco sal e rica em cálcio e a prática de atividade física podem ajudar a prevenir a pressão alta.

Continua depois da publicidade

Leia também

Benefícios da atividade física durante a gravidez

Gravidez tardia: conheça os riscos e os benefícios

4 cuidados com o corpo durante a gravidez

Destaques do NSC Total