Seja para quem mora em grandes cidades ou em municípios menores, a segurança é uma grande preocupação para a maioria dos brasileiros. De acordo com dados da pesquisa Censo QuintoAndar, realizada em parceria pela plataforma de moradia QuintoAndar e o Datafolha, 53% dos brasileiros desejam instalar alarmes de intrusão em suas casas.

Continua depois da publicidade

Os alarmes são apenas um exemplo dos muitos dispositivos que podem ser implementados nas residências e nos estabelecimentos comerciais para garantir mais segurança, prevenir ocorrências e ajudar a aumentar a velocidade de resposta no caso de roubos, invasões e até mesmo incêndios. E, no caso de imóveis que ficam vazios por muito tempo, como casas de praia, as soluções de segurança são ainda mais importantes.

> Comércio eletrônico fatura R$ 73 bilhões no primeiro semestre e expectativa de crescimento é positiva

Na prática, a simples presença de equipamentos de segurança já contribui para minimizar os riscos: casas que possuem câmeras de videomonitoramento não costumam ser alvo de criminosos. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (ABESE), a cada 100 tentativas de roubo a ambientes monitorados, 94 não são efetivadas.

Alarme de intrusão

Entre os diversos dispositivos desenvolvidos pela empresa brasileira Intelbras, que é referência em tecnologia no país, está o alarme de intrusão sem fio. De fácil instalação, o alarme pode ser utilizado sem quebrar paredes ou fazer muitas mudanças na estrutura do imóvel. Outra vantagem é o design discreto e moderno, pensado para que ele não interfira na decoração e seja imperceptível no dia a dia.

Continua depois da publicidade

A bateria tem vida útil de cinco anos, o que significa que não é necessário se preocupar com equipamentos descarregados e nem realizar manutenções frequentes.

Na hora de escolher pelos dispositivos ideias para proteger um imóvel, essas são algumas características que devem ser levadas em consideração, além das particularidades do local: é um ambiente residencial ou uma empresa? A casa é habitada o ano todo, ou apenas em alguns períodos?

Sabendo das necessidades de cada imóvel, é possível começar a pesquisar com mais eficiência sobre os dispositivos disponíveis no mercado. Cada caso é único, mas ao instalar uma central de alarme, é preciso também instalar sensores, que podem ser de movimento, infravermelho, microondas, magnético, etc. Além disso, certos espaços podem demandar ainda um sistema mais completo, com acessórios além do alarme, como câmeras ou sensores de movimento

Em relação à eficiência e durabilidade, quanto maior a qualidade do produto, melhor. Itens de mais qualidade precisam de menos manutenções e garantem mais proteção ao imóvel, além de, muitas vezes, disporem de mais funcionalidades que tornam seu uso mais fácil. No caso dos alarmes de intrusão, por exemplo, é possível acompanhar em tempo real pelo aplicativo, permitindo monitoramento remoto.

Continua depois da publicidade

Proteção completa

Importante para aumentar a segurança de residências e empresas, o alarme de intrusão faz parte de um sistema maior, chamado de sistema de detecção de intrusão, que une vários dispositivos para responder a violações na área protegida e também para prevenir a ocorrência de invasões.

As funcionalidades do sistema variam de acordo com os equipamentos instalados. As principais opções são os sensores de movimento e a central de alarme. Posicionados em pontos específicos e estratégicos, os sensores identificam a presença de indivíduos pelo movimento; no entanto, existem também os sensores de abertura. Instalados em janelas e portas, eles são ativados quando os campos magnéticos do sensor são separados, ou seja, quando a porta ou janela é aberta.

> Brasil atinge recordes de geração de energia solar e amplia necessidade de mão de obra qualificada

Quanto mais equipamentos de segurança instalados e conectados entre si, maior a eficiência da rede de proteção. Uma casa com câmeras de monitoramento, por exemplo, conta com a captura de imagens em tempo real. Esses dispositivos ajudam a identificar alarmes falsos, o nível de risco real em situações de perigo e até mesmo no reconhecimento facial de intrusos. E, se houver uma central de alarme, os proprietários podem ser notificados diretamente no smartphone em caso de invasão. Certos modelos comunicam também as empresas de segurança responsáveis, o que garante resposta mais ágil em caso de emergências.

Continua depois da publicidade

Acesse o canal da Intelbras na Nsc e fique por dentro das novidades.

Leia também

Sonolência é a causa de mais de 40% dos acidentes nas estradas do país

Tecnologias de monitoramento contribuem para a segurança de patrimônio residencial e empresarial

Intelbras é referência nos segmentos de segurança, comunicação e energia

Destaques do NSC Total