nsc

Entrevista

“A Covid-19 fez os médicos valorizarem mais os sintomas do paciente”, diz pneumologista de Joinville

Médico pneumologista falou sobre as sequelas causadas pela doença em entrevista à CBN Joinville

29/01/2021 - 16h01 - Atualizada em: 13/05/2021 - 11h22

Compartilhe

Jean
Por Jean Patrick
Médico e paciente
Sequelas causadas pelo coronavírus têm sintomas leves e graves
(Foto: )

Desde a descoberta do vírus SARS-Cov-2 e da Covid-19, cientistas pelo mundo procuram entender o modo como o novo coronavírus deixa sequelas nos pacientes após se recuperarem. Os sintomas podem ser leves e graves, além de provocar sequelas a longo prazo meses após a contaminação.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Em entrevista ao Notícia na Manhã desta sexta-feira (29) na Rádio CBN Joinville, o médico pneumologista Fabiano Luís Schwingel destaca que dados mostram que há sequelas, mas cada caso deve ser avaliado.

- Está mais que comprovado que muitas pessoas ficam com sequelas. Ela limita as atividades de vida da pessoa. Mas não quer dizer que teve a doença que vai ter sequelas. São mais frequentes em pacientes que tem doenças mais graves – disse o médico.

> Vacinação da Covid-19 em Joinville: entenda como acontece a imunização

Como se trata de uma doença respiratória, as principais sequelas deixadas pela covid-19 nos pacientes recuperados estão nos pulmões. A recomendação do pneumologista é que as pessoas procurem ajuda médica de três a quatro semanas após se recuperar da doença e se permanecerem os sintomas. Antes disso, é importante saber que é normal ter sintomas leves.

- O paciente notou uma evolução diferente, viu que o curso da doença modificou e sentiu que tem sintomas novos, não há a menor dúvida de que ele deve procurar um médico – disse.

Fabiano Luís Schwingel relata que “a Covid 19 fez com que os médicos valorizassem muito o sintomas do paciente”. 

- O diagnóstico se baseia na queixa do paciente e o médico tem que acreditar do que disse o paciente - disse.

Ouça a entrevista completa:

Colunistas