nsc
    dc

    IOMANI ENGELMANN

    Acate 35 anos: os desafios para formar novos talentos para o ecossistema de inovação

    Apesar do momento de crise mundial, a associação teve um crescimento de 10,5% no número de associadas em 2020

    20/04/2021 - 18h22 - Atualizada em: 20/04/2021 - 18h33

    Compartilhe

    Por Tech SC
    Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE)
    Fachada da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE)
    (Foto: )

    Iomani Engelmann
    Iomani Engelmann
    (Foto: )

    Neste mês a Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) completa 35 anos com o desafio ainda maior de continuar fortalecendo o ecossistema de tecnologia e inovação de Santa Catarina, transformando o Estado em uma referência global. Apesar do momento de crise mundial, a associação teve um crescimento de 10,5% no número de associadas em 2020, e hoje conta com 1.400 empresas, com presença em dez polos regionais.

    > Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

    Em 1986, no início da trajetória da entidade no setor tecnológico no Estado, os números obtidos eram inimagináveis. Segundo dados do Acate Tech Report 2020, atualmente são mais de 12 mil empresas no setor catarinense de tecnologia, que faturam R$ 17,7 bilhões, e empregam 56,5 mil pessoas.

    Acompanhando as tendências globais, a Acate continua desenvolvendo programas e projetos para fomentar o empreendedorismo tecnológico e atrair novos talentos para o estado. Além disso, a Acate efetuou transformações fundamentais para apoiar a velocidade com que as empresas foram provocadas a produzir tecnologia e inovação desde o início da pandemia da Covid-19. Entretanto, percebemos que mesmo com o crescimento de soluções ofertadas pelas empresas, a falta de mão de obra qualificada se intensificou. Por isso, a entidade tem como meta  auxiliar de forma efetiva a capacitação de novos profissionais.

    > 2020: um ano de desafios e superação para o setor de tecnologia catarinense

    Para realizar esse objetivo, todas as esferas da sociedade têm que estar envolvidas. Dessa forma, a Acate procura trabalhar junto ao governo para fortalecer ainda mais a base educacional, para assim despertar o interesse dos jovens pela área. Além disso, buscamos estimular as empresas para que elas possam atrair e reter talentos.

    Em 2020, a associação começou a traçar atividades para ajudar nessa meta. Iniciamos um mapeamento estadual com o intuito de identificar o volume e perfil dos profissionais demandados pelas regiões de Santa Catarina. Essa ação servirá de insumo para futuras parceiras e ampliará iniciativas como o programa DEVinHouse, que está formando desenvolvedores e inicia em breve novas turmas.

    > Como o setor de tecnologia ajudou a colocar três cidades de SC entre as mais atrativas para novos negócios

    História de conquistas

    A Associação foi fundada por um pequeno grupo de empresários com o propósito de administrar o Condomínio Industrial de Informática (CII), prédio que abrigava as primeiras empresas de tecnologia de Florianópolis. Ao longo dos 35 anos, foram diversas conquistas e desafios enfrentados para o desenvolvimento da área.

    Também conquistamos vários prêmios, como o de Melhor Hub de Inovação do país em 2018 e 2019 pelo Startup Awards; o Miditec foi eleito com uma das cinco melhores incubadoras do mundo segundo o UBI Global em 2018 e 2019. Além disso, participamos de duas missões internacionais com a presidência da república - Índia e Estados Unidos.

    > Marco legal das startups é fundamental para a retomada econômica

    Um dos propósitos da Acate sempre foi o de gerar valor aos associados e para a sociedade, criando conexões e desenvolvendo iniciativas conjuntas. Também acreditamos que quando o ecossistema é unido, todos se fortalecem. Os resultados alcançados até o momento são expressivos, mas buscamos ainda mais para  continuar colocando o estado no cenário global.

    Santa Catarina tem um imenso potencial, e mesmo em meio à pandemia, foram investidos mais de R$2,2 bilhões na aquisição de empresas catarinenses em 2021. Além dos investimentos internacionais, a criação de fundos estaduais é necessária para continuar essa história de sucesso. Os desafios são inúmeros, mas revisitando todo o caminho que a Acate percorreu e conseguimos chegar até onde estamos, vejo que vamos chegar muito mais longe.

    Leia todos os artigos de Iomani Engelmann

    Colunistas