Iomani Engelmann
Presidente da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) (Foto: Artes NSC)

Santa Catarina é um estado de economia muito diversificada. As regiões têm diferentes matrizes econômicas que se complementam e integram um estado altamente produtivo, com desenvolvimento pujante e inovador, principalmente neste período de tantos desafios que passamos recentemente. 

Continua depois da publicidade

> Receba notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Temos grandes indústrias, somos referência no agronegócio e reconhecidos internacionalmente pelo turismo. A tecnologia também é um dos principais pilares da economia catarinense e que tem demonstrado seu espírito inovador e colaborativo, além de ser uma das grandes potências na geração de emprego.

O Observatório Acate mostrou que foram criadas 122 mil novas vagas no Brasil na área de tecnologia em 2021. Santa Catarina aparece entre os líderes, na terceira posição, com 10,3 mil novos postos, atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. 

Continua depois da publicidade

E quem acompanha e impulsiona esse crescimento do ecossistema de inovação catarinense é a Acate, que completa 36 anos neste mês. Essa trajetória é marcada por incentivos às empresas, profissionais, entidades e setores que ajudaram a construir o cenário que temos hoje, referência no país e no mundo. 

A associação nasceu no dia 1º de abril de 1986 a partir da iniciativa de 11 empreendedores de Florianópolis com o objetivo de fortalecer o setor e apoiar novos negócios de tecnologia. Nas décadas seguintes, a instituição ganhou relevância e seu impacto passou a ser estadual. 

No início da década de 1990, por exemplo, nasce o atual programa de incubação Miditec. Premiada como uma das cinco melhores incubadoras do mundo, o Miditec já apoiou mais de 200 empresas em fases iniciais até a escala em SC.

Já entre 2010 e 2021, a Acate expandiu com nova metodologia para a formação de empreendedores, mudança de sede para o Centro de Inovação Acate Primavera, além da ampliação de espaços físicos por meio dos polos regionais. Mesmo com os impactos da pandemia, o setor de tecnologia de SC seguiu crescendo e chegou a 2021 com indicadores positivos, sendo o segundo estado mais produtivo, quarto com maior número de colaboradores, com cerca de 68 mil profissionais, e o sexto em faturamento e em número de empresas, somando quase 18 mil negócios. 

Continua depois da publicidade

No começo de 2022, a associação deu mais um passo importante e lançou o programa Acate Care, que tem como foco melhorar a qualidade de vida dos colaboradores do setor de tecnologia de Santa Catarina. Atualmente, a entidade atende 1,5 mil associadas e tem programas e benefícios disponíveis para cada etapa da jornada dessas empresas, desde o apoio à criação do negócio, busca por investidores, acesso facilitado a recursos, internacionalização e suporte para maturidade da companhia. 

E a ideia é construir um futuro ainda melhor para o setor, pautado na formação de talentos, descentralização do ecossistema de inovação no estado e reforço na jornada segmentada de excelência com foco no reforço do portfólio de serviços. O objetivo é alavancar o segmento e torná-lo ainda mais inclusivo. Afinal, assim como os demais setores produtivos, tem impulsionado o desenvolvimento econômico e social de Santa Catarina. 

E a Acate está preparada para seguir apoiando a trajetória de profissionais e empresas da área de tecnologia catarinense. 

*Por Iomani Engelmann, presidente da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate)

Leia também

Estudo revela que 40% das empresas de Florianópolis abriram na pandemia

Mulheres+Tec: programa vai investir R$ 1,4 milhão em 24 startups lideradas por elas

Por que é importante estimular o empreendedorismo feminino?

Destaques do NSC Total