nsc
nsc

Educação

Aprenda sobre as três fases da Revolução Industrial

Confira o resumo e entenda como cada uma delas marcou a história

06/12/2021 - 09h09

Compartilhe

Portal
Por Portal EdiCase
Revolução industrial
Revolução industrial
(Foto: )

A evolução no modo de produzir mercadorias, principalmente do setor industrial, acelerou o desenvolvimento do sistema capitalista que originou o que chamamos de Revolução Industrial, em três momentos:

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

Primeira Revolução Industrial

Aconteceu no final do século XVIII e início do XIX, na Inglaterra. Logo depois, em outros países como França, Bélgica, Holanda, Rússia, Alemanha e Estados Unidos, em um novo modelo de produção industrial em que se descobriu a utilização do carvão como fonte de energia: máquina a vapor e a locomotiva.

Modernizaram o setor de transporte (matéria-prima, pessoas e distribuição de mercadorias) dando enorme alavancada às indústrias, aumentando a produtividade e o êxodo rural formando grandes centros urbanos.

> Resumo sobre os principais períodos da história do Brasil

Segunda Revolução Industrial

Se deu a partir de 1870, com maior exploração do uso da energia elétrica e do petróleo em motores à explosão. Aceleraram o ritmo industrial na fabricação de produtos em escalas cada vez maiores, com o marco da criação da lâmpada (1879 com sistemas de iluminação), o telégrafo (comunicação), métodos mais rápidos de produção de ferro, aço e alumínio (ferrovias e automóveis), que aceleraram o desenvolvimento do capitalismo.

> Confira o Aulão Enem NSC 2021 — História Geral

Terceira Revolução Industrial

Aconteceu em meados do século XX, marcado pela revolução técnico-científica informacional. Avanço da informática, química, robótica e genética voltadas para o mercado. Ainda atual, desenvolve os meios de comunicação e transporte, diminuindo distâncias e acelerando a globalização. 

Consequências: avanço da Ciência e Tecnologia, consolidação do capitalismo financeiro, expansão das multinacionais, descentralização industrial, flexibilização do trabalho (Toyotismo: produção por demanda) e terceirização da economia.

Conclusão

Podemos concluir que as transformações tecnológicas mudaram não só as indústrias e os meios de produção, mas também o próprio espaço geográfico e as relações humanas. Nas últimas décadas, a preocupação com os impactos ambientais demarcou uma fase inédita: a busca de fontes limpas de energia, uma resposta aos problemas ambientais.

Leia também

Aprenda a usar a vírgula corretamente de forma simples

6 dicas para relaxar antes do Enem

Dicas para se preparar para o vestibular

Colunistas