nsc
    dc

    Violência

    Assassinato de adolescente em Chapecó foi motivado por rivalidade de facções criminosas, diz polícia

    Vítima de 17 anos foi morta com três tiros na cabeça, enquanto dormia

    15/04/2021 - 17h33 - Atualizada em: 15/04/2021 - 17h40

    Compartilhe

    Clarissa
    Por Clarissa Battistella
    Suspeito também é apontado por outro homicídio e por um assalto que quase terminou com a morte da vítima
    Suspeito também é apontado por outro homicídio e por um assalto que quase terminou com a morte da vítima
    (Foto: )

    O assassinato de um adolescente de 17 anos, em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, foi motivado pela rivalidade entre duas facções criminosas, conforme a Polícia Civil. A vítima foi morta à queima roupa, com três tiros na cabeça, enquanto dormia dentro em casa, em agosto de 2020. A investigação foi concluída oito meses após o crime. 

    > Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    > Jovem sofre ataques homofóbicos e ameaças de morte com símbolos nazistas em Imbituba

    Delegado responsável pelas investigações, Vagner Papini, explicou que a investigação demorou porque não havia testemunhas ou câmeras de videomonitoramento nas proximidades do local onde ocorreu o homicídio, o que deixou o trabalho mais complexo. 

    No entanto, a equipe chegou à identificação do suspeito, também adolescente e integrante de uma facção criminosa:

    - Apuramos que o fato foi praticado por um indivíduo de apenas 17 anos de idade. 

    Ainda, de acordo com o delegado, a rivalidade entre facções resultou em desentendimentos reiterados entre vítima e autor, culminando no ataque fatal.

    - Ele (suspeito) foi ouvido em três oportunidades, sendo que apenas na última ocasião optou por revelar a verdade e assumir a responsabilidade desse ato infracional - explicou o delegado. 

    > Câmera flagra ataque racista que terminou em agressões em Lages; polícia investiga o caso

    Também apontado pela autoria de outro homicídio, ocorrido em dezembro do ano passado, e por um roubo que quase terminou com a morte da vítima, o adolescente já estava internado em um centro sócio-educativo, onde permanece recolhidos, conforme a polícia. 

    Colunistas