nsc
dc

Investigação

Jovem sofre ataques homofóbicos e ameaças de morte com símbolos nazistas em Imbituba

Ataques de ódio movidos por ideologia são investigados pela Polícia Civil

15/04/2021 - 16h31 - Atualizada em: 15/04/2021 - 16h41

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Ameaças foram feitas através de um aplicativo de mensagens
Ameaças foram feitas através de um aplicativo de mensagens
(Foto: )

Um jovem de 24 anos sofreu ataques homofóbicos e ameaças de morte com símbolos nazistas em Imbituba, no Litoral Sul de SC. Os textos e as imagens foram enviados à vítima através de um aplicativo de mensagens pelo celular. O caso ocorreu durante o feriadão da Páscoa e é investigado pela Polícia Civil.

> Câmera flagra ataque racista que terminou em agressões em Lages; polícia investiga o caso

Segundo o delegado responsável pelo caso, Nicola Patel Filho, as mensagens tinham afirmações de ódio sobre a orientação sexual do jovem e chegaram acompanhados de figurinhas e fotos que representam o neonazismo.

- A gente está investigando e não descarta nenhuma hipótese, mas é um caso isolado que ocorreu na cidade - afirmou o delegado.

De acordo com Nicola, ainda não é possível dizer de onde seria o grupo que enviou as mensagens e nenhum outro caso de neonazismo foi registrado na cidade até então:

- É importante destacar que a gente nunca pegou uma mensagem de conteúdo neonazista nas inúmeras operações que fizemos aqui. E pessoas ideologicamente afinadas com esse tipo de ideia geralmente a manifestam.

> Jovens e cães são resgatados de helicóptero após se perderem em trilha em Nova Veneza; veja o vídeo

As diligências estão em andamento e devem contar com a cooperação internacional para se chegar à autoria do crime. O boletim de ocorrência foi registrado pouco depois das ameaças e o caso, segundo o delegado, é tratado como injúria racial e ameaça.

Leia mais:

> Gafanhotos gigantes invadem SC; especialista explica os motivos e o impacto na agricultura

> Médicos de SC receitam nebulização com hidroxicloroquina para tratar Covid-19

> Deputado diz que prioridade para religiosos em SC não 'fura fila' da vacinação

Colunistas