nsc
santa

Na internet

Ataques racistas a influenciadores de Balneário Camboriú acabam em denúncia na Justiça

Dupla acusada de ataques também fez ameaças de morte aos influenciadores

04/08/2021 - 18h20 - Atualizada em: 04/08/2021 - 18h34

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Os amigos procuraram a polícia nesta semana para registrar um Boletim de Ocorrência
Os amigos procuraram a polícia nesta semana para registrar um Boletim de Ocorrência
(Foto: )

Dois homens de 25 e 26 anos foram denunciados por injúria racial e ameaça contra um influenciador de Camboriú, no Litoral Norte de SC. Ambos são suspeitos de proferir ofensas racistas contra a vítima nas redes sociais e ameaçá-la de morte em 2019 e neste ano. 

Receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) na terça-feira (3), mas o recebimento não tinha sido registrado pela Justiça ainda nesta quarta (4), segundo o Tribunal de Justiça (TJSC). Os denunciados moram em Balneário Camboriú, na mesma região e se tornam réus somente se Justiça aceitar a denúncia. As informações são do G1 SC.

A dupla, conforme documento do MP, ofendeu a vítima em 2019 com termos racistas como "preto, pobre, fedorento, macaco" e ameaças: "Pode ter certeza que nois e play boy eu pago pra matar aquele nego". 

Mais recentemente, o influenciador voltou a ser atacado pelas mesmas pessoas com um lembrete: "Não esquecemos de você.. Antes o alvo era você...Agora o alvo é sua mãe por você querer defender causa de representatividade de negros em bc... Vou entregar os braços e as pernas da sua mãe na sua mão".

O crime de injúria racial tem pena de um a três anos de prisão e ameaça é de um a seis meses de detenção.

“A gente tem mais tempo de escravidão no Brasil do que sem ela”, diz filósofa Djamila Ribeiro

- O Ministério Público tem o dever de agir para coibir esse tipo de conduta criminosa. Muitos criminosos acreditam que podem se esconder atrás de perfis falsos, mas é importante destacar que hoje é possível identificar a origem dos ataques, como nesse caso. A internet não é terra sem lei. É importante que as vítimas registrem a ocorrência, a fim de que os órgãos de fiscalização possam atuar de maneira firme - disse Greicia Malheiros da Rosa, titular da 3ª Promotoria de Justiça de Camboriú.

Repórter da NSC conta experiência de racismo durante semana de protestos antirracistas pelo mundo

Ataque também ocorrem contra modelo

Em junho a Polícia Civil instaurou inquérito para apurar a denúncia de ataques racistas feitos pelas redes sociais contra duas pessoas: o produtor e influenciador digital, Ed Jr de 25 anos, e a modelo e influenciadora digital, Tiane Felix de 24.

Os ataques contra os dois tiveram início em 2019. Neste ano, após o produtor criticar uma abordagem da Guarda Municipal em um estabelecimento, as ofensas voltaram a acontecer. Foram feitos três boletins de ocorrência no nome do influenciador e um em nome da modelo. A denúncia do MPSC, no entanto, só menciona o caso de Ed Jr.

Leia também

Câmera flagra ataque racista que terminou em agressões em Lages; polícia investiga o caso

Policial militar sofre injúria racial na internet após atender ocorrência em Urubici, na Serra de SC

Racismo: a força negra em Santa Catarina no combate às desigualdades raciais

Colunistas