nsc
nsc

TOP OF MIND

Ativação de marca pós-pandemia deve ir além da vitrine de produtos

Brand experience propõe focar na experiência do usuário como estratégia para se destacar

30/11/2021 - 10h00

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Brand experience propõe focar na experiência do usuário como estratégia para se destacar
Foco na experiência é estratégia para 2022
(Foto: )

Março de 2020 foi determinante para praticamente todos os processos de uma empresa, e o marketing não saiu ileso da pandemia. Muitas estratégias, algumas traçadas com um ou mais anos de antecedência, foram descartadas, e as equipes precisaram repensar as ações do zero.

Neste segundo ano de pandemia, enquanto a vacinação avança, permitindo a retomada das atividades sociais, de lazer e de consumo offline, surgem algumas questões para tornar o marketing mais humano, inclusivo, diversificado e alinhado às necessidades dos consumidores.

Além da tecnologia, os hábitos de consumo também se transformaram rapidamente nestes últimos 20 meses, estando cada vez mais voltados às experiências e ao desejo do cliente de se reconhecer nas marcas. Nesse sentido, o maior desafio da brand experience – principal tendência do marketing para o próximo ano – está em fazer uso da tecnologia, principalmente da inteligência artificial na gestão de dados, para oferecer uma melhor experiência para as pessoas.

Interação e engajamento são palavras-chave

Em 2022, o marketing de ativação deverá se apoiar sobre um tripé: experiência do cliente, envolvimento dos funcionários (trabalho colaborativo entre diferentes equipes/ setores) e visualização de conteúdo. Para isso, as estratégias precisarão focar na divulgação do produto ou serviço, na interação com público e na geração de engajamento. Um bom exemplo são ações híbridas, que acontecem presencialmente e dão origem a campanhas virtuais, e o uso da realidade aumentada em ruas, festas, estádios de futebol, eventos corporativos e afins.

Em 2018, a Sony montou o WOW Studio na South by Southwest (SXSW) 2018 (maior evento de negócios criativos do mundo, realizado no Texas). O espaço reuniu projetos especiais da marca, como robôs cachorros com inteligência artificial, estúdio musical, jogos de realidade aumentada e um bar com bebidas grátis. O espaço virou a sensação do evento e até hoje é exemplo de ativação de marcas em todo o mundo.

Obviamente, não é necessário criar um espaço que seja referência mundial em ação de marketing para ativar uma marca. Com criatividade, é possível oferecer ações diferentes, que melhorem a relação com os clientes, que crie engajamento, fazendo com que as pessoas construam uma ideia sobre a marca.

Os números mostram que investir em uma boa relação com os clientes é um ótimo negócio: segundo especialistas em gestão da Bain and Company, um aumento de 5% na retenção de clientes significa 25% a mais nos lucros.

Consumidor consciente e protagonista na jornada de compras

Com o crescimento do conteúdo online, as pessoas se tornaram mais ativas na busca por informação sobre o que consomem. Ou seja, o público não mais espera que a marca diga o quanto o produto dela é excelente. Em vez disso, fazem pesquisas e tiram suas próprias conclusões.

De acordo com um estudo do Marketing Insider Group, 73% das pessoas afirmam que a experiência do cliente é um fator importante para a decisão de compra. A experiência positiva é um fator determinante para a compra tanto ou mais que o valor do produto.

Desse modo, as ações de ativação devem ser desenhadas para causar uma boa impressão e criarem memórias que possam ser ativadas sempre que o consumidor for escolher entre a sua marca ou a do concorrente.

Públicos diferentes exigem estratégias diferentes

Como em qualquer estratégia de marketing, a ativação de uma marca deve levar em conta a persona, isto é, seu público-alvo. A partir do momento em que se entende quem é e onde está o cliente, é possível escolher as ferramentas mais indicadas para impactar positivamente, engajar e reter.

A distribuição de brindes é uma das ações de marketing presencial mais antigas e utilizadas ainda hoje. O que faz a diferença é a assertividade com relação ao público e ao local da ação.

Outro diferencial importante é a integração entre online e offline. O aumento da preferência por compras virtuais fez com que as lojas físicas precisassem fazer do momento de compras uma experiência.

Ações no varejo ultrapassam as barreiras das lojas físicas utilizando tecnologia para apresentar a marca. A gigante Ikea, por exemplo, oferece um dispositivo de realidade aumentada para que os clientes saibam como os móveis ficarão em suas casas antes de comprar.

A retomada das estratégias de ativação de marca deve ser feita com o propósito de colocar o cliente como agente da ação e de estreitar laços por meio das experiências e da criação de boas memórias. Entender esse processo é essencial para se destacar e manter a marca ativa e lembrada pelo público.

Top of Mind 2021

Neste ano, a campanha do Top of Mind vai celebrar as marcas que trabalharam o conceito de branding emocional de forma diferenciada em Santa Catarina. Com o mote “não precisa nem se esforçar para lembrar”, o conceito da campanha se propõe a mostrar que, em um mundo em que recebemos muitas informações o tempo todo, ainda assim, sempre sobra espaço na mente para lembrar das marcas preferidas.

Descubra quais são as marcas mais lembradas de SC no evento online no dia 2 de dezembro e na edição impressa dos jornais da NSC no dia 4 de dezembro.

Saiba mais acessando o canal Top of Mind 2021

Top of Mind premia as marcas mais lembradas pelos catarinenses em 2021

Geração de emprego em Santa Catarina é destaque nacional

Colunistas