nsc
an

Combustíveis

Aumento abusivo no preço da gasolina em Joinville é alvo de fiscalização

Procon comparou os preços praticados entre quarta e quinta-feira, durante a paralisação dos caminhoneiros

09/09/2021 - 15h48

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Fiscalização em postos de combustível em Joinville
Fiscalização em postos de combustível em Joinville
(Foto: )

Postos de combustível em Joinville que aumentaram o preço da gasolina por causa da alta procura entre esta quarta e quinta-feira (8 e 9) foram alvo de fiscalização pelo Procon municipal. O foco foi identificar a possível prática de aumentos abusivos no cenário de desabastecimento pela paralisação dos caminhoneiros.

> Receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

> Filas e falta de gasolina: a situação dos postos de combustíveis em SC

De acordo com o Procon de Joinville, 50 postos já haviam sido monitorados na quarta, o que facilitou a comparação nesta quinta. O foco da operação foi nos locais onde a gasolina subiu mais de 15 centavos o litro de um dia para o outro.

Em um posto da cidade, a gasolina comum chegou a ser vendida a R$ 5,999 o litro, segundo o órgão. Nesse caso, o estabelecimento foi orientado a abaixar o preço e recebeu uma notificação. Se o valor não for reajustado, o local pode ser multado.

O Procon também entregou uma notificação ao Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro), solicitando à entidade que oriente os associados a não reajustar o preço em decorrência da paralisação dos caminhoneiros.

O Sindipetro espera que a situação se normalize com a retomada gradual do abastecimento. Com a liberação da base de abastecimento em Guaramirim, a última que ainda estava fechada por manifestantes, caminhões voltaram a distribuir combustível. Nesta quinta, Joinville chegou a ter ao menos 70 postos sem gasolina.

Leia também

Justiça proíbe caminhoneiros de fechar rodovias federais de SC

"Ninguém fechará essa Corte", diz ministro Luiz Fux em resposta do STF a Bolsonaro

Análise: Bloqueios de caminhoneiros em rodovias tentam gerar caos e clima para golpe

Colunistas