publicidade

Cotidiano
Navegue por

Mobilidade

Avança obra do trecho Sul do anel viário de Florianópolis

Em paralelo à duplicação da Edu Vieira, no Pantanal, frente de trabalho para implantação do BRT na Capital chega ao bairro Saco dos Limões

12/07/2019 - 07h00 - Atualizada em: 12/07/2019 - 10h20

Compartilhe

Por Clarissa Battistella
Por Stefani Ceolla
Trecho da obra na Edu Vieira
(Foto: )

Chegaram à região do Saco dos Limões, em Florianópolis, as obras que integram a implementação do anel viário, com corredor exclusivo para ônibus – o chamado BRT (Bus Rapit Transit) – no entorno do Maciço do Morro da Cruz.

O projeto total contempla 17 quilômetros, mas será realizado por etapas, com licitações específicas para cada área. Não há previsão de quanto tempo a prefeitura levará para concluir a obra toda. O trecho Sul, que compreende regiões dos bairros Pantanal e Saco dos Limões, tem previsão de término dentro de dois anos.

Nesta nova fase, que faz parte da primeira etapa da obra, será construída uma pista para o tráfego do transporte coletivo na Avenida Prefeito Waldemar Vieira, entre o Armazém Vieira e o Túnel Antonieta de Barros, no sentido Centro. Segundo o secretário de Infraestrutura de Florianópolis, Valter Gallina, a ideia é que esta faixa exclusiva não tenha cruzamentos. Quando concluída, o trânsito será deslocado para a nova pista, para revitalização da antiga.

A ideia é construir naquela região um sistema binário de acesso ao Sul da Ilha, que compreende também a duplicação da Rua Deputado Antônio Edu Vieira, principal via do Pantanal. Segundo Gallina, esta via duplicada deve ter sentindo único e estará pronta em 45 dias.

– A gente pensa em fazer um sistema binário da Eletrosul até o Armazém Vieira, em mão única, com retorno pela Rua Capitão Romualdo de Barros, na Carvoeira – explica o secretário.

Em paralelo ao corredor de ônibus, haverá outra parte da obra, que consiste na terraplanagem e drenagem de um trecho que vai do bairro Córrego Grande, 300 metros antes do trevo da Dona Benta, até o trevo da Eletrosul.

– Vai contribuir bastante para o fluxo nas proximidades da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), porque são 50 mil estudantes todos os dias. Também vai aliviar o acesso ao Sul da Ilha, que sempre é bastante engarrafado – analisa o secretário.

Conhecida como uma das regiões mais congestionadas de Florianópolis, a estruturação da mobilidade urbana iniciou próximo à UFSC, de acordo com Gallina, devido ao grande volume de veículos.

– Nós vamos concluir a primeira etapa, dividida em três fases, 1a, 1b e 1c, para depois pensarmos no próximo passo – disse o secretário, quando questionado sobre a totalidade do projeto.

A obra na Edu Vieira iniciou em 2017. No entanto, parou em algumas ocasiões para adequações no projeto. Em março deste ano, a obra do trecho Sul do anel viário foi retomada depois de nova licitação. Estes trechos de reestruturação inicial (que compreendem a região da Edu Vieira e do Saco dos Limões) somam 3,2 quilômetros. O investimento é de R$ 29 milhões.

Especialista analisa o projeto

Segundo o pesquisador do Observatório de Mobilidade de Florianópolis, Werner Kraus Junior, o projeto pretende acelerar o fluxo para os coletivos urbanos que saem do Pantanal e vão até o Centro, mas não prevê uma saída para escoamento dos automóveis.

– Há a priorização para os transportes públicos, que devem ter uma vantagem significativa se não precisarem enfrentar a fila de veículos, contanto que tenham preferência, ao final do corredor, em relação aos automóveis. O ônibus ganhou muito tempo-viagem – analisa.

Para o pesquisador, da forma como é estruturado, o projeto busca uma reorganização das filas de automóveis sentido ao bairro Itacorubi, porém, no sentido Universidade-Baía Sul, a capacidade continuará estrangulada:

– Passam cerca de 800 veículos por hora na faixa, então quando chega na Eletrosul pela via duplicada, não tem escoamento, o que vai deixar o trânsito mais complicado neste trecho – prevê.

No Córrego Grande, ainda segundo o pesquisador, também ocorre um estrangulamento, pois acumula veículos que saem da Trindade e de toda a região do Itacorubi.

– Não tem muita saída para evitar o engarrafamento, na verdade, se não houver ampliação das vias de acesso ao Itacorubi e toda aquela região. Alguns nós não vão ser desatados – completa.

Linha do tempo do trecho Sul do anel viário

- Março de 2012: Prefeitura apresenta projeto para duplicação da Rua Antônio Edu Vieira.

- Setembro de 2015: Prefeitura abre licitação para dar início à construção do anel viário, que projeta a instalação do modelo BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus. Primeira fase da obra compreende a Edu Vieira.

- Maio de 2016: Assinado contrato para início da obra do anel viário. O alargamento previsto vai do início do Córrego Grande até o Armazém Vieira, pela Edu Vieira.

- Março de 2017: As obras do corredor exclusivo para o sistema de ônibus BRT iniciam efetivamente, num trecho de 300 metros, pela Avenida Professor Henrique da Silva Fontes (trecho anterior à Edu Vieira), mas param logo depois para readequação do projeto e ajustes de maior durabilidade do pavimento da via.

- Maio de 2017: Obras são retomadas e chegam à Edu Vieira.

- Outubro de 2017: Aditivo de R$ 3,2 milhões motiva decisão de rescisão do contrato entre a prefeitura de Florianópolis e o consórcio Alves Ribeiro/ Conpesa, responsável pela duplicação da Edu Vieira e da construção do primeiro trecho do corredor exclusivo de ônibus.

- Dezembro de 2017: Contrato, que havia sido assinado em 2016, é rescindido oficialmente.

- Fevereiro de 2018: Lançado novo edital de licitação para a contratação de empresa responsável pelas obras de parte do trecho Sul, que não avança.

- Dezembro de 2018: Prefeitura lança novo edital de licitação para contratação de empresa ou consórcio que ficará responsável pela construção de parte do trecho Sul.

- Março de 2019: Obras do trecho Sul do anel viário de Florianópolis reiniciam, pela duplicação da Edu Vieira.

- Julho de 2019: Trabalhos chegam à região do Saco dos Limões.

Entenda o sistema

A implantação do anel viário é tida pela prefeitura como a maior intervenção de mobilidade urbana focada no transporte público coletivo na Capital. Até agora, foi executado parte do que estava previsto para o primeiro e o segundo segmentos do trecho, nas proximidades da UFSC. No primeiro segmento, correspondente aos 300 metros que antecedem o trevo da Dona Benta, na Avenida Professor Henrique da Silva Fontes, na Trindade, foi feita a nova pista de concreto. Será construída estação dupla de embarque e desembarque no local. Já no segundo segmento, entre o trevo da Dona Benta e a rótula da Eletrosul, na Rua Deputado Antônio Edu Vieira, já foi concluída a drenagem e a terraplenagem e está em construção a nova pista.

O trecho Sul do anel viário vai dos 300 metros que antecedem o trevo da Dona Benta, na Avenida Professor Henrique da Silva Fontes, na Trindade, até a entrada do Terminal de Integração do Centro (Ticen), via Pantanal. A etapa em andamento compreende uma extensão de 1,3 km da Avenida Professor Henrique da Silva Fontes, na Trindade, à rótula da Eletrosul, entre a Rua Deputado Antônio Edu Vieira e a Avenida César Seara, no Pantanal; e outra frente, de 1,9 km, do Armazém Vieira, entre a Rua Deputado Edu Vieira e a Avenida Prefeito Waldemar Vieira, no Saco dos Limões, e a saída Sul do Túnel Antonieta de Barros. Ao todo, elas somam 3,2 km.

Para a execução de todo o anel viário, está previsto um investimento de R$ 162 milhões, valor financiado pela Caixa.

O anel viário vai percorrer oito vias principais de cinco bairros da cidade. São elas:

- Av. Professor Henrique da Silva Fontes / Trindade

- Rua Deputado Antônio Edu Vieira / Pantanal

- Av. Prefeito Waldemar Vieira / Saco dos Limões

- Av. Gustavo Richard / Centro

- Av. Paulo Fontes / Centro

- Av. Osvaldo Rodrigues Cabral / Centro

- Av. Jornalista Rubens de Arruda Ramos / Centro

- Av. Governador Irineu Bornhausen / Agronômica

Leia também:

Florianópolis é a pior capital do país em termos de mobilidade

Prefeitura de Florianópolis quer fazer teste com faixa reversível na ponte Colombo Salles

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação