nsc
santa

Pandemia

Blumenau e região voltam para o risco grave do coronavírus; aulas estão proibidas

04/11/2020 - 11h04 - Atualizada em: 04/11/2020 - 12h13

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Movimento na Rua XV, em Blumenau.
Movimento na Rua XV, em Blumenau.
(Foto: )

O Médio Vale do Itajaí voltou nesta quarta-feira (4) ao risco “grave” para o coronavírus, de acordo com a matriz de risco do governo do Estado. A expectativa de que o status piorasse já na semana passada foi adiada para este início de novembro e força novas restrições em Blumenau e região. Na prática, aulas presenciais em grupo estão proibidas, assim como atividades em cinemas, teatros e museus.

> Receba notícias de Blumenau e do Vale por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

Blumenau já vem enfrentando uma alta no número de casos, de pacientes ativos e de média móvel de novos diagnósticos, como vêm mostrando reportagens publicadas pelo Santa há duas semanas. O mapa do governo de SC, porém, leva em conta toda a microrregião do Médio Vale, e não apenas a principal cidade. No indicador de transmissibilidade, o risco passou a ser de 4 — considerado delicado.

Além do Médio Vale, o Nordeste (região de Joinville), Planalto Norte, Vale do Rio do Peixe, e Xanxerê, também passaram do risco “alto” para “grave”. Apenas a Região Oeste melhorou os indicadores, recuando de “grave” para alto”. Já a Grande Florianópolis foi de “grave” para “gravíssimo”, única região de Santa Catarina na cor vermelha — a que indica a pior situação — no mapa.

Novo mapa de risco.
Novo mapa de risco.
(Foto: )

O que muda em Blumenau e região

O risco potencial “grave” para coronavírus também é considerado crítico, mas com um grau a menos que o gravíssimo. Nesse caso, as restrições são rigorosas, mas um pouco mais flexíveis.

Estão proibidos

- Acesso de público a competições esportivas públicas ou privadas.

- Aulas presenciais em todas as redes e para todos os níveis, com exceção do superior.

- Cinemas, teatros, casas noturnas, museus e qualquer evento que resulte em reunião de público.

- Conferências públicas ou privadas que acarretem aglomeração de pessoas.

- Casas de shows, boates e pubs, festas particulares com aglomeração.

- Concentração e permanência de pessoas em parques, praias e praças.

- Conferências públicas ou privadas que acarretem aglomeração de pessoas.

- Atividades em estabelecimentos que não estejam atendendo às normas sanitárias de prevenção ao coronavírus.

Estão liberados

- Aulas presenciais de reforço, desde que individuais.

- Missas e cultos religiosos, com 50% da lotação máxima.

- Academias com 50% da capacidade total.

- Prática de esportes individuais em praias, praças e parques.

- Restaurantes e lancherias desde que respeitado as regras sanitárias.

- Funcionamento dos serviços públicos municipais, estaduais e federais de forma presencial, respeitado o limite de 30% do total de agentes públicos em exercício.

Colunistas