nsc
an

Manifestações

Caminhoneiros bloqueiam distribuidora e postos ficam sem gasolina no Norte de SC

Caminhões não estão conseguindo sair de base em Guaramirim para realizar a distribuição de combustíveis na região; Sindipetro entrará com liminar pedindo a escolta dos veículos

08/09/2021 - 15h14 - Atualizada em: 08/09/2021 - 16h39

Compartilhe

Luana
Por Luana Amorim
Fetrancesc publicou nota repudiando os bloqueios em Santa Catarina
Fetrancesc publicou nota repudiando os bloqueios em Santa Catarina
(Foto: )

Os bloqueios nas rodovias por caminhoneiros que começaram na terça, 7 de setembro, já começa a ter reflexos. Na região Norte, por exemplo, postos de combustíveis de Joinville e São Bento do Sul ficaram sem gasolina nesta quarta-feira (8). Em nota, a Federação das Empresas de Transporte de Carga e Logística no Estado de Santa Catarina (Fetrancesc) se mostrou contra o bloqueio. 

> Receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Além do desabastecimento, alguns postos registram filas nesta quarta-feira. Segundo apuração da NSC TV, ao menos 30 postos estão sem combustível nas cidades de Joinville, Balneário Barra do Sul, São Francisco do Sul e São Bento do Sul. 

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro), o principal problema está na base em Guaramirim, uma das principais unidades para a distribuição de combustíveis aos municípios que ficam na região Norte. No local, manifestantes não estão permitindo a saída de caminhões. 

— Já na saída desse terminal é a rodovia que está paralisada. Como esses caminhões estão parados, alguns postos não conseguiram reabastecer o estoque e, por isso, há essa falta de combustíveis — explica a gerente do SIndipetro, Pamela Alessandra Bento. 

Para tentar resolver o problema, o sindicato deve entrar nas próximas horas com um pedido de liminar, solicitando a liberação das bases e a escolta desses caminhões, a fim de garantir o abastecimento dos postos de combustíveis. 

Além de Guaramirim, também há bloqueio de caminhoneiros na base da Transpetro em Biguaçu. Segundo o Sindicato de Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis), há um trator e dois caminhões próximo a entrada da unidade.

Apesar disso, a entidade acredita que o abastecimento nos postos continuará normalmente na região.

Já o Sindicato do Comécio Varejista de Derivados de Petróleo do Litoral Catarinense e Região (Sincombustíveis) disse que até o momento, não há registro de desabastecimento nos postos e que não há bloqueio nas bases que impeçam a saída dos veículos de transporte de combustíveis. 

O Sindicato dos Trabalhadores nas empresas revendedoras de combustíveis e derivados de petróleo de Chapecó e do Oeste, Meio Oeste e Planalto Norte de Santa Catarina (Sitercomoc) também afirmou que não há falta de combustível nos postos da região. 

Fetrancesc repudia bloqueios nas rodovias 

Até a tarde desta quarta-feira, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), havia 16 pontos de bloqueio em quatro rodovias catarinenses: BR-101, BR-280, BR-116 e BR-470. Por conta disso, o Sistema Fetrancesc emitiu uma nota repudiando a paralisação dos caminhoneiros. 

No comunicado, a entidade alega que "enaltece o direito à livre manifestação", mas que tais atos impedem o tráfego de caminhões responsáveis pelo abastacimento de insumos básicos, como alimentos e combustíveis. 

"Neste sentido, enquanto entidade representativa de mais de 18 mil empresas do Transporte Rodoviário de Cargas em Santa Catarina, bem como responsável pelo emprego de mais de 100 mil colaboradores, além de ciente de sua responsabilidade com o cidadão catarinense, o Sistema Fetrancesc repudia atos de bloqueios e impedimentos do tráfego de quaisquer veículos, sejam de pequeno ou grande porte, independente da quantidade de pessoas em seu interior", diz a nota. 

Por fim, a Fetrancesc alega que tal atitude vai contra a constituição e que as empresas do Transporte Rodoviário de Cargas de Santa Catarina "não integram quaisquer movimentos de bloqueios de rodovias e pretendem manter suas atividades normalmente". 

Leia também: 

Cidades de SC têm manifestações de 7 de Setembro a favor de Bolsonaro

Cidades de SC têm manifestações contra Bolsonaro no 7 de Setembro

Bolsonaro volta a atacar ministro do STF durante discurso em São Paulo

Colunistas