A cesta básica em Florianópolis voltou a subir em novembro e atingiu um custo médio de R$ 747,59. Trata-se do segundo valor mais alto entre as capitais brasileiras, atrás apenas de São Paulo, a R$ 749,28. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que divulgou a Pesquisa Nacional da Cesta Básica referente a novembro nesta quarta-feira (6).

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Em relação a outubro, a cesta básica na capital catarinense subiu 1,19%. Na divulgação anterior, o valor havia recuado nesse mesmo percentual, quando era também o segundo mais alto do país.

No acumulado de todo o ano de 2023, houve, no entanto, uma queda de 3,68%, acompanhando tendência repetida por quase todas as outras 16 capitais da pesquisa, com exceção de Fortaleza, Belém e Natal.

O Dieese entende que o custo da cesta básica em Florianópolis em novembro comprometia 61,23% de um salário mínimo, hoje em R$ 1.320 — muito aquém do necessário, segundo o departamento. O valor ideal estimado do salário mínimo para manter uma família de quatro pessoas, o que inclui também moradia, saúde, educação e lazer, entre outras demandas, seria de R$ 6.294,71, com base nos gastos de quem vive em São Paulo.

Continua depois da publicidade

Em 2022, a cesta básica em Florianópolis teve um aumento acumulado de 11,55%. Ela já havia fechado o ano de 2021 também como a segunda mais cara do país, atrás apenas de São Paulo naquela ocasião.

Leia mais

Pequenas empresas geram 64% das vagas de emprego em SC

Filho de Jorginho entra em cena nos bastidores com “os dois pés” na Casa Civil

Destaques do NSC Total