nsc

Perigo

Ciclista sofre corte no rosto em acidente com linha de cerol em Florianópolis

Jovem de 17 anos foi atingido na Costeira do Pirajubaé

26/04/2021 - 10h26 - Atualizada em: 26/04/2021 - 12h43

Compartilhe

Jorge
Por Jorge Jr.
Andrei Filomeno recebeu 13 pontos no rosto
Andrei Filomeno recebeu 13 pontos no rosto
(Foto: )

O ciclista Andrei Filomeno de Jesus, 17 anos, por pouco não teve sérios problemas com a visão após sofrer um corte no rosco causado por uma linha de pipa com cerol, na Via Expressa Sul, em Florianópolis, no domingo.

> Acidente com linha de cerol fere motociclista em Palhoça e gera indignação

A linha cortante, que já fez vítimas fatais na Capital, atingiu também outro ciclista que estava na ciclovia.

— Saí pra pedalar no sentido do Aeroporto e eu e mais um outro ciclista acabamos sofrendo o acidente com essa linha de cerol. Sofri um corte no nariz e no canto do olho, fiquei muito perto de perder a visão. O pessoal dos Bombeiros me auxiliou e me levou ao hospital, onde levei 13 pontos — relatou Andrei.

> Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

De acordo com o comandante da Guarda Municipal, Valci Brasil, a fiscalização é difícil de ser realizada.

— A GMF tenta de todas as formas, assim como as outras forças de segurança, quando a gente vê uma pipa no céu a gente diminui a velocidade da viatura, vê se é um local seguro. Fica difícil de fiscalizar todos os bairros pra encostar a viatura, abordar essas crianaças e jovens para verificar se tem cerol ou não tem. Na medida do possível isso é feito — explicou o comandante em entrevista ao Notícia na Manhã desta segunda-feira.

Fiscalização e denúncias

A fiscalização do uso de cerol e linhas cortantes em pipas é realizada em rondas de rotina, tanto pela PM (190), como, em Florianópolis, pela Guarda Municipal (153). Se avistar as linhas em regiões de rodovias, também é possível avisar a PRF (191), em estradas federais, e a Polícia Militar Rodoviária (PMRv) em rodovias estaduais, pelo 198.

Na Capital, desde 2014 uma lei também proíbe a produção, comercialização, transporte, uso ou guarda da linha chilena, que é industrializada. Pela lei, o produto, "quando estiver em posse de usuário, ambulante ou comerciante será apreendido e destruído pelos órgãos competentes de fiscalização, não cabendo aos infratores qualquer indenização".

É possível denunciar a venda ilegal desse produto na Capital para a Superintendência de Serviços Públicos, que faz a averiguação in loco. O contato da ouvidoria para denúncias é o site www.pmf.sc.gov.br/ouvidoria ou o e-mail ouvidoria.susp@pmf.sc.gov.br.

Leia mais:

Homem de 29 anos é encontrado morto em praia de Florianópolis

Jacarés se "aglomeram" e chamam atenção em Florianópolis; veja vídeo

Elon Musk decidiu em Florianópolis que iria investir foguetes e revolucionar a corrida espacial

ALERTA DE IMAGEM FORTE

Andrei ficou com o rosto machucado
Andrei ficou com o rosto machucado
(Foto: )

Colunistas