nsc
dc

Tempo

Ciclone extratropical: o que é e quais os perigos

Formações podem causar alagamentos, destelhamentos e destruição

03/05/2022 - 10h41

Compartilhe

Brenda
Por Brenda Bittencourt
Ciclones costumam se formar no mar
Ciclones costumam se formar no mar
(Foto: )

Alertas de ciclone costumam preocupar, ventos fortes, chuva e frio são condições climáticas que fazem parte da formação. Eles são tempestades tropicais formadas em centros de baixa pressão, áreas associadas à formação de nuvens, à umidade e a tempestades. Um ciclone pode ter pelo menos três tipos de formações: extratropical, subtropical e tropical.

> Compartilhe essa notícia no WhatsApp

Este tipo de formação costuma ser comum no inverno e também em períodos de transição, caso do outono, por estar associado ao encontro de frentes frias com massas de ar tropical, de temperatura quente.

A instabilidade nessas áreas provoca uma intensa movimentação do ar convergente no seu centro, concentrando umidade e calor. Ciclone extratropical é um fenômeno meteorológico caracterizado por fortes tempestades e ventos, que faz parte de uma família maior de fenômenos meteorológicos, a família dos ciclones.

Quais as características de um ciclone?

Ciclones correspondem a centros de baixas pressão, ou seja, apresentam pressão menor que as áreas vizinhas, gerados pela convergência dos ventos. De formal geral, os ciclones correspondem às tempestades tropicais. De acordo com o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos, são formados, principalmente, sobre os oceanos que se localizam em regiões tropicais.

Eles representam grandes massas de ar que realizam um movimento giratório, podendo deslocar-se de uma região para outra. De maneira simples, pode-se dizer que os ciclones são grandes massas de ar bastante carregadas de umidade capazes de provocar chuvas torrenciais ao redor de um centro de baixa pressão atmosférica.

> Rochas podem indicar vulcão em SC; entenda

O que é ciclone extratropical?

Os ciclones extratropicais são definidos como sistemas de baixa pressão atmosférica de escala sinótica que ocorrem nas regiões de latitudes médias, onde constituem uma parte importante da circulação atmosférica ao contribuírem para o equilíbrio térmico das regiões equatoriais e das regiões polares.

Este tipo de formação de se desenvolve através de gradientes, ou seja, diferenças de temperatura e de ponto de orvalho. A região onde ocorrem tais diferenças é conhecida como zona baroclínica.

Os ciclones extratropicais obtêm sua energia por métodos diferentes daqueles usados por outros fenômenos ciclônicos, tais como ciclones tropicais e as baixas polares, permitindo a sua classificação como sistemas de "núcleo frio"

Se um ciclone se forma entre os trópicos de Câncer e de Capricórnio, ele é chamado de subtropical. Se ele se forma sobre os trópicos ou em torno deles, ele é chamado de tropical. Já se o fenômeno ocorre fora da área delimitada pelos trópicos, ele é chamado de extratropical.

A maioria dos ciclones extratropicais produz ventos fortes e chuvas moderadas a torrenciais. Assim como o ciclone tropical, intensos ciclones extratropicais também são capazes de causar a maré de tempestade, uma elevação do nível do mar associada ao sistema. Dependendo da intensidade do sistema, estes fatores secundários podem provocar tantos estragos quanto o próprio ciclone.

Qual a causa do ciclone e como se forma?

Os ciclones extratropicais formam-se em massas atmosféricas com alta instabilidade meteorológica e perdem a sua força quando se tornam barotrópicos, ou seja, quando as diferenças de temperatura ocorrem juntamente com as diferenças de pressão. Algumas regiões costeiras são frequentemente afetadas por ciclones extratropicais, embora alguns sistemas particularmente intensos possam causar tanta destruição quanto um ciclone tropical.

Imagem de satélite mostra ciclone extratropical, comum de atingir o Sul no país, já formado
Imagem de satélite mostra ciclone extratropical, comum de atingir o Sul no país, já formado
(Foto: )

> Relembre os maiores estragos causados pelo mar em SC

Por que os ciclones extratropicais são chamados assim

Estes ciclones são chamados de "extratropicais" porque se formam quase que exclusivamente fora das regiões tropicais, e também por se originarem de massas de ar de origem não-tropical. Estes sistemas também são chamados de "ciclones" devido à sua natureza ciclônica.

Quais são os três tipos de ciclone?

Ciclone extratropical

Os ciclones extratropicais estão, em geral, associados com as frentes frias. É um ciclone que se origina fora da área dos trópicos. Geralmente considerado como um ciclone migratório encontrado nas médias e altas latitudes. Também chamado tempestade extratropical.

Ciclone subtropical

O subtropical é um ciclone intermediário, ou seja, está entre o tropical e o extratropical, por esse motivo tem características de ambos. Apesar de não ter um olho definido, tem a formação de grandes nuvens de temporais por conta da presença de águas quentes do oceano. Ele pode ou não ter uma frente fria associada e se formanas regiões chamadas de subtrópico.

Ciclone tropical

Ciclone tropical é um ciclone que se desenvolve sobre as águas tropicais, devido às altas temperaturas e alta umidade, que se movimenta de forma circular.

Leia também:

"A casa treme toda vez que a onda bate", desabafa moradora após erosão em Florianópolis

Recorde de frio em SC: confira as menores temperaturas registradas na história

Frio em Santa Catarina: saiba quais são as cidades mais geladas

Colunistas