nsc
hora_de_sc

IMAGENS IMPRESSIONANTES

Relembre os maiores estragos causados pelo mar em SC

A força do mar e as ressacas do litoral catarinense já "engoliram" a praia diversas vezes

16/06/2021 - 08h18 - Atualizada em: 16/06/2021 - 12h36

Compartilhe

Redação
Por Redação Hora
Brenda
Por Brenda Bittencourt
Ressaca na Praia de Armação, 2010
Ressaca na Praia de Armação, 2010
(Foto: )

O litoral de Santa Catarina sofre há anos com os estragos causados pelo mar. As ondas por diversas vezes "engoliram" a praia, os calçadões, píers e até mesmo casas. A situação do avanço do mar tem sofrido agravamentos. Na verdade, o mar está agora tão próximo de muitos lugares onde antes não se acreditava chegar. Será que esta questão tende a piorar ou estagnar? Veremos a seguir. Confira!

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Nas regiões costeiras do estado, os danos das chuvas cada vez mais fortes que assolam o litoral, bem como as marés altas, reforçam as consequências desses fenômenos.

As prefeituras locais, estão começando a agir. Porém, ainda não são motivos de promessas eleitorais quando o assunto é segurança contra inundações e ressacas. Os prefeitos locais não podem enfrentar esses problemas sozinhos. Trata-se de uma sincronia entre as administrações estaduais e municipais

Três grandes regiões estão mais expostas à crise dos danos causados pelo mar na costa: litoral norte, Grande Florianópolis e litoral sul. Além disso, outra preocupação climática são os chamados ciclones.

Os Ciclones Bomba

Um dos ciclones que causaram mais estragos e acabou ficando na história de Santa Catarina, foi o Ciclone Bomba, ocorrido na terça-feira do dia 30 de junho de 2020. Esse ciclone causou grandes impactos em todo o litoral.

Criado a partir da pressão do ar que desce 1hpa/hora (unidade de pressão do ar), observa-se o evento da “bomba”, costumam ser mais intensos do que os ciclones "tradicionais" – ou seja, possuem ventos em até 60% mais fortes do que os demais ciclones.

Mesmo que os estudiosos ainda não identifiquem exatamente a forma como esses fenômenos se relacionam, em Santa Catarina, começa a haver possibilidades de novas formações de ciclones-bomba, porém, ainda permanece em estudo.

Vale saber que o poder de destruição de um ciclone desses, pode se assemelhar muito a um furacão, já que sinaliza ventos fortes alinhados e que avançam em linha reta.

Na verdade, esse ciclone bomba que esteve em SC, também chegou a causar estragos, de forma indireta, em São Paulo, danificando pela forte ventania, quedas de árvores e derrubar a temperatura para 8ºC. O fato é que o contexto todo, nos Estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, esse fenômeno se sentiu com maior força, provocando grandes estragos, com quedas rápidas de temperaturas, e até neve e geada.

O evento ficou registrado por centenas de pessoas que gravaram em vídeo diversos momentos de danos e do pânico causado pela forte ventania.

> Como será a ordem de vacinação para gestantes e pessoas com comorbidades em SC

As Ressacas

As ressacas, de igual forma, são registradas no litoral de SC de forma mais constante nos últimos anos, principalmente na região da Grande Florianópolis. Em abril de 2020, outro ciclone extratropical, combinado com o fator da maré alta, também causou estragos em várias cidades do litoral catarinense, como a capital, Balneário Camboriú, Itajaí e Laguna.

Em abril de 2020, outro ciclone extratropical, combinado com o fator da maré alta, também causou estragos em várias cidades do litoral catarinense,
Em abril de 2020, outro ciclone extratropical, combinado com o fator da maré alta, também causou estragos em várias cidades do litoral catarinense,
(Foto: )

Na Ilha de Santa Catarina, os estragos feitos nas praias foram documentados com destaque para a Praia do Campeche, Pântano do Sul, Joaquina e Rio Tavares. De acordo com os estudos do CEPED e da Defesa Civil, o Sul de Florianópolis foi um dos mais atingidos por causa da sua posição geográfica e estratégica, por causa dos movimentos das marés.

Assim, percebemos também em outras cidades, como Balneário Camboriú; Barra Velha, Araranguá, Laguna, Itajaí e Joinville, a elevação do mar, causando estragos.

No município de Itajaí, por exemplo, a água chegou a invadir muitos pontos da cidade, e no Sul de SC, Balneário Rincão, Barra do Sul e Laguna, também foram atingidos, com a maré chegando às calçadas, ultrapassando a faixa da areia.

> Conheça os 16 animais mais estranhos e raros vistos em SC

O que fazer em caso de ressaca e inundações

Segundo a Defesa Civil, algumas ações podem ser tomadas:

Tomar cuidado com as edificações, infraestruturas e vias em áreas vulneráveis à erosão

Proteger embarcações

Evitar a navegação e a atividade de pesca

Evitar banhar-se no mar ou praticar esportes

Evitar caminhar ou pedalar pela orla

O presidente da Associação Comunitária Morro das Pedras, André Luiz Vieira, chegou a falar com a equipe da NSC que essas ressacas parecem como um tipo de “explosão, dando pra ouvir a duzentos metros de distância.”

Praticamente, as praias no extremo norte catarinense, como por exemplo, Itapoá, chegaram a ficar sem praias, tendo muitas casas que foram danificadas, bem como bares e restaurantes.

> Em site especial, saiba mais informações sobre a pandemia do coronavírus

Ações políticas

Ambientalistas e parlamentares já chegaram a defender a aprovação da Lei do Mar (PL 6969/13), que visa a criação da Política Nacional para a Conservação e o Uso Sustentável do Bioma Marinho Brasileiro, que incorpora o mar territorial, a zona costeira e áreas como dunas e mangues.

A ideia é promover o uso sustentável dos recursos naturais, garantir a conservação da biodiversidade e prevenir impactos negativos. Desta forma, a proposta prevê a criação de políticas para assegurar a população nesses biomas. O financiamento desta política seria feito por meio de fundos públicos e privados, paga por empreendimentos que possam causar danos ao mar.

> Florianópolis tem 14 escorpiões-amarelos achados em caixa de esgoto; 9 bairros registram casos

Lista dos principais eventos climáticos causados em SC

Ciclone Catarina

Ciclone ou Furacão Catarina - ciclone tropical que atingiu a região Sul do Brasil com intensidade máxima em março de 2004 que ocasionou ventos de até 180 quilômetros por hora, definida como de categoria 2 na escala de furacões de Saffir-Simpson.

Enchentes de 2008

As enchentes de 2008 ocorreram depois do período de grandes chuvas, afetando em torno de 60 cidades e mais de 1,5 milhões de pessoas no estado, com 135 pessoas que perderam suas vidas, 2 desaparecidas, e mais de 9 mil pessoas deixaram suas casas. Cidades como Itajaí tiveram grande parte das embarcações destruídas, por causa do nível alto do mar.

Enchentes em 2011

Em setembro de 2011, 83 cidades decretaram situação de emergência por causa das fortes chuvas e a Defesa Civil contabilizou 6 mortes e cerca de 930 mil pessoas foram afetadas.

> Mitos e verdades sobre os efeitos colaterais da vacina contra Covid-19

Ciclone bomba de 2020

O Ciclone Bomba deixou 12 mortes confirmadas em Santa Catarina.

Janeiro mais chuvoso da história

Em janeiro deste ano, o número total de chuvas que foi registrado, ultrapassou o dobro da média esperada para este mês, o que fez inevitavelmente bater um recorde histórico.

No entanto, como sabemos, o Estado de Santa Catarina são regulares os desastres naturais relacionados com questões climáticas, isso devido à sua localização. De certa forma, alguns fenômenos são considerados raros e até mesmo inexistentes em outras partes do país, como os ciclones.

Por causa desse caráter especial da região, a atenção à ocorrência dos desastres deve ser cada vez mais reforçada. Isso, tanto na prevenção quanto na resposta dada a população atingida.

Quem se encarrega desses estudos causados regularmente por esses eventos, estão a Secretaria Nacional de Defesa Civil e o CEPED (Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina), que aliás, nos garantiu um completo Atlas de Desastres Naturais (CEPED-UFSC, 2011).

> Quando receberei vacina contra a Covid-19 em Santa Catarina?

Fotos dos maiores estragos causados pelo mar em SC

Prainha em São Francisco do Sul também registrou erosão marinha, em  2019
Prainha em São Francisco do Sul também registrou erosão marinha, em 2019
(Foto: )
Ressaca do mar causou estragos no calçadão da Praia da Armação, no Sul da Ilha, em 2019
Ressaca do mar causou estragos no calçadão da Praia da Armação, no Sul da Ilha, em 2019
(Foto: )
Florianópolis, 2019
Florianópolis, 2019
(Foto: )
A maré alta chegou ao calçadão de Balneário Camboriú em 2019
A maré alta chegou ao calçadão de Balneário Camboriú em 2019
(Foto: )
Erosão no Morro das Pedras, em Florianópolis, causada pelo mar em 2021
Erosão no Morro das Pedras, em Florianópolis, causada pelo mar em 2021
(Foto: )

Mar ameaça construções em Florianópolis

Leia também

10 animais curiosos e estranhos do fundo do mar

Caso Evandro: o que aconteceu e as teorias do crime da série na Globoplay

Sputnik V: a eficácia da vacina que chegará no Brasil

Recorde de frio em SC: confira as menores temperaturas registradas na história

Colunistas