Após passar por uma cirurgia de artroplastia total do quadril, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já está acordado e conversando normalmente, de acordo com a equipe de sete médicos que participaram do procedimento. A operação do lado direito do corpo do político de 77 anos teria acontecido sem intercorrências e o presidente deve ir para o quarto ainda no início da noite desta sexta-feira (29).

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A cirurgia na unidade de Brasília (DF) do hospital Sírio-Libanês começou por volta de meio-dia e foi até as 13h13, segundo a equipe, que ressaltou que as dores que Lula vinha sentindo por causa do problema no quadril devem passar nas próximas semanas.

O procedimento ocorreu sem intercorrências. O presidente já se encontra acordado, indo para a recuperação pós-anestésica. Nas próximas horas ele irá para o apartamento, um quarto normal, não necessitando de semi-intensiva nem UTI. Ele já está acordado e deve ficar internado nos próximos dias afirmou Roberto Kalil, médico pessoal do presidente, em conversa com o g1.

Cirurgia na pálpebra

Segundo os médicos, Lula respondeu bem à anestesia geral e, por isso, os médicos aproveitaram para fazer também uma cirurgia de correção da pálpebra, que já estava programada, de acordo com a equipe.

Continua depois da publicidade

Estava programado fazer uma blefaroplastia, uma pequena correção da pálpebra afirmou Kalil, explicando sobre o tempo total de centro cirúrgico, visto que o segundo procedimento aconteceu das 15h às 16h16.

O que é artroplastia do quadril, cirurgia que Lula realizará nesta sexta-feira

Antes da cirurgia, a assessoria do presidente informou que ele deve trabalhar por pelo menos três semanas na residência oficial do Palácio da Alvorada, sem utilizar o gabinete do Palácio do Planalto, além de ficar de quatro a seis semanas sem realizar viagens.

O presidente planeja retomar os destinos internacionais no final de novembro, com a participação na Conferência do Clima das Nações Unidas (COP), que será realizada nos Emirados Árabes.

Processo de recuperação e uso de andador

De acordo com o ortopedista que comandou a cirurgia, Giancarlo Polesello, Lula está com forças nos membros inferiores e, por isso, a equipe já vai buscar que ele levante da cama e faça exercícios “o mais rápido possível”.

Continua depois da publicidade

Sempre tentamos tirar o paciente da cama o mais rápido possível. Isso porque evitam-se complicações. Desde que o paciente consiga, esteja consciente, recupere sua força muscular, é desejável que se tire o paciente da cama o mais rapidamente possível afirmou em conversa com o g1.

Domenico De Masi previu futuro de Lula e da Lava Jato em entrevista à NSC

Os primeiros exercícios de recuperação, segundo Polesello, serão feitos ainda na cama. Depois Lula poderá levantar, apesar de nesse primeiro momento ter que usar andador.

Então, provavelmente vai começar a fazer exercício ativamente na cama, depois tentamos deixar sentado na cama e, sucessivamente, até que ele consiga sair da cama, fique em pé e dê os primeiros passos. Ele vai poder pisar com toda a força no chão. Com andador, por conta do equilíbrio explicou.

Quando o presidente terá alta hospitalar?

Os médicos informaram que Lula deve ter alta por volta de segunda-feira (2) ou terça-feira (3).

Continua depois da publicidade

Por que prefeitos de SC vão protestar contra o governo Lula

Médica da Presidência da República, Ana Helena Germoglio afirmou que a recomendação de trabalhar nas próximas semanas no Palácio da Alvorada se deve à necessidade de o presidente realizar fisioterapia. A alta recente nos casos de Covid-19 também foi levada em conta pela equipe médica.

Já vamos sair aqui do hospital com o presidente levantando e andando. Não há limitação dele trabalhar no Alvorada. Agora a gente vai dar prioridade à recuperação e não ao despacho (trabalho). A cabeça dele já está funcionando perfeitamente, mas claro que entre despachos, vai haver fisioterapia e repouso disse Ana Helena.

Giancarlo Polesello explicou que é esperado que, entre quatro a seis semanas, o paciente tenha uma “boa cicatrização” e que esteja “andando com carga total e equilíbrio para ter independência nas atividades do dia a dia”.

Leia também

Lula marca viagem a Santa Catarina; saiba quando

Qual é o único cargo do governo Bolsonaro mantido por Lula em SC

Destaques do NSC Total