nsc
dc

Polêmica

"Contribua com a sua vida para que a gente salve a economia", diz prefeito de Porto Alegre ao comentar pandemia

Sebastião Melo (MDB) disse a frase em provável ato falho durante transmissão em que pediu colaboração das pessoas para evitar locais de lazer

27/02/2021 - 05h00

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Prefeito de Porto Alegre sugeriu que pessoas contribuíssem com a própria vida para salvar economia do município
Prefeito de Porto Alegre sugeriu que pessoas contribuíssem com a própria vida para salvar economia do município
(Foto: )

O prefeito de Porto Alegre (RS), Sebastião Melo (MDB), expressou uma frase polêmica ao anunciar medidas para conter o avanço da pandemia de Covid-19. A capital gaúcha enfrenta cenário semelhante a cidades de Santa Catarina e de outros Estados, com aumento de casos e internações pela doença.

> SC registra novos picos de casos ativos e de UTIs ocupadas em toda a pandemia

Em uma transmissão ao vivo na quinta-feira (25) em que anunciou algumas regras para tentar controlar o contágio na cidade, Sebastião Melo sugeriu que as pessoas contribuíssem "com a sua vida” para salvar a economia do município. A fala ocorreu no momento em que o gestor pedia a colaboração da população para evitar medidas de fechamento de áreas de lazer como a orla do Guaíba, e pareceu ser um ato falho.

– Tivemos uma profunda discussão, de fechar parques, praças e a orla. Queremos fazer um apelo à população: não ocupem os espaços públicos. Nós não vamos, em um primeiro momento, fechar a orla, mas se a população não atender o pedido do governo, nós vamos fechar. Não gostamos de fazer nada por decreto. Contribua com sua família, com a sua cidade, com a sua vida, para que a gente salve a economia do município de Porto Alegre – afirmou.

Porto Alegre registrou nesta sexta-feira (26) 100% de ocupação de UTIs, com 430 pessoas internadas. A cidade já tem 103,5 mil casos confirmados da doença e 2.385 mortes desde o início da pandemia do novo coronavírus.

> Receba notícias de Santa Catarina no Whatsapp

Na transmissão em que disse a frase polêmica, o prefeito anunciou a ampliação de leitos e a proibição de passageiros em pé nos ônibus, mas manteve o comércio e os espaços de lazer abertos. Melo já havia se pronunciado contrário a fechamentos na economia, mas na entrevista desta quinta não descartou esse cenário.

Para evitar essas ações, pediu a contribuição da população pedindo que as áreas de lazer não sejam frequentadas.

– Estamos dispostos a restringir mais? Estamos. Estamos dispostos a salvar a economia – destacou. 

Leia também

> Monitor da Vacina: Acompanhe a evolução da vacinação contra Covid-19 em SC

> Ônibus circulam em Florianópolis para atender trabalhadores no fim de semana

> Pacientes de UTIs em SC são mais jovens, mais graves e sem comorbidades

Colunistas