nsc
nsc

Unicesumar

EAD: as áreas mais procuradas para ensino a distância

Matrículas em cursos de graduação na modalidade EAD na Unicesumar aumentaram 39% entre agosto e outubro de 2020

11/01/2021 - 10h54 - Atualizada em: 11/02/2021 - 13h30

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
unicesumar
(Foto: )

A lista de mudanças – sociais, econômicas, ambientais etc. –, causadas ou impulsionadas pela pandemia de Covid-19 é bastante extensa. Entre elas, a transformação digital é uma das mais sentidas: a necessidade de isolamento e distanciamento social provocou um aumento nas atividades online. Entre home office, lives e videochamadas, que se tornaram parte da rotina milhões de pessoas no país, o ensino a distância (EAD) também passou a ser uma realidade e, no pós-pandemia, o EAD dá sinais de que vai continuar crescendo – não mais como uma imposição, mas como uma escolha.

>> Cresce busca por cursos na área da saúde em meio à pandemia

A educação remota, principalmente em nível superior e de pós-graduação já era uma tendência no Brasil, e a pandemia acelerou o crescimento da modalidade. De acordo com um levantamento feito pela Unicesumar – a quarta maior universidade do país –, somente entre agosto e outubro de 2020, a instituição registrou um aumento de 39% em matrículas para cursos de graduação a distância. A pesquisa mostra, ainda, que os cursos mais procurados são os da área de saúde e bem-estar (85%); de tecnologia (64%); e de e engenharia (56%).

– Isso reafirma a necessidade de mão de obra especializada para setores em franco crescimento durante a pandemia e que, mesmo após controlado o contágio, continuarão a ser demandadas, como é o caso das graduações relacionadas à tecnologia – setor fundamental para a continuidade dos negócios de milhares de empresas – aponta a diretora de graduação da EAD Unicesumar, Kátia Coelho.

Aumento na busca por educação a distância pós-pandemia evidencia tendência dos últimos anos

Se, durante os meses mais críticos da pandemia, o ensino remoto foi a única forma de manter as atividades acadêmicas, o crescimento da procura por cursos de graduação a distância demonstra o interesse dos estudantes em continuar as atividades remotamente.

O aumento das matrículas na Unicesumar é um exemplo do cenário nacional nos últimos anos. De acordo com o Mapa do Ensino Superior no Brasil 2020, houve um crescimento de 145% nas matrículas em cursos de graduação de EAD, entre 2009 e 2018.

Esse avanço leva a previsões bastante animadoras: a consultoria especializada, Hoper Educação, prevê que neste ano, o número de estudantes matriculados em cursos a distância na rede privada de ensino deve chegar a 1,5 milhão contra um milhão de alunos em cursos presenciais.

Por que fazer uma graduação a distância? Modalidade apresenta inúmeros benefícios

Entre os motivos elencados por quem escolhe fazer uma graduação em EAD está a economia, pois além da redução do das mensalidades – e, consequentemente, do valor total do curso – há menor gasto com alimentação e transporte. Outro fator importante é a flexibilidade e a possibilidade de conciliar os estudos com o trabalho e outros compromissos diários.

Tanto a economia quanto a flexibilidade são possível graças à tecnologia utilizada nas plataformas de ensino remoto e ao desenvolvimento de planos de ensino próprios para a modalidade, que cumprem todas as determinações do Ministério da Educação e permitem que os diplomas dos cursos EAD tenham a mesma validade dos diplomas obtidos presencialmente. Isso torna o ensino a distância bastante vantajoso para quem busca qualificação por meio do ensino formal, mas não dispõe de tempo para fazer um curso convencional.

– Por trás da educação a distância existe todo um trabalho didático, uma concepção pedagógica, estrutura flexível, ferramentas e tecnologias elaboradas especificamente para as necessidades de aprendizado do aluno, sem a necessidade de encontros presenciais – explica Kátia Coelho.

Nos cursos de EAD Unicesumar, os estudantes contam com tecnologias que simulam práticas profissionais com a utilização de realidade aumentada, jogos interativos, livros digitais e vídeos em 360°.

Outros benefícios do EAD apontados por estudantes que escolheram cursar o Ensino Superior remotamente são:

Flexibilidade e poder de escolha: É possível criar grades de horários individualizadas, que se encaixem nos seus compromissos e demais atividades do dia a dia. Os alunos de EAD podem estudar quando e onde acharem melhor.

Comprometimento: O ensino a distância exige maturidade e comprometimento com a própria formação. Essas qualidades podem ser desenvolvidas ao longo do curso e são muito bem vistas pelo mercado de trabalho.

Desenvolvimento da disciplina: Do mesmo modo do comprometimento e maturidade, a disciplina também pode ser desenvolvida durante a graduação. Em pouco tempo, cada aluno entende como deve organizar seu cronograma de estudos para obter melhores resultados.

Responsabilidade com a informação e o conhecimento: Em tempos de “fake news” saber como e onde buscar informações e conhecimento pautado em dados scientíficos ou em argumentos bem embasados é um diferencial, e o EAD é mais um ponto positivo nesse sentido. O convívio com o ambiente virtual faz com que os estudantes se tornem mais responsáveis na busca por fontes seguras de informação.

Além disso, o EAD ajuda a desenvolver potencialidades bastante desejadas pelo mercado, como inteligência emocional, foco, automotivação, resiliência e autonomia.

Novos cursos para um mercado em expansão

Referência em EAD no país, a Unicesumar se preparou para atender às crescentes demandas e lançou 11 novos cursos a distância e híbridos em áreas que lideram a retomada da economia brasileira: Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Farmácia, Nutrição, Automação Industrial, Controle de Obras, Manutenção Industrial, Sistemas Elétricos, Gestão da Produção Industrial, Gerontologia, Ciências de Dados, e Análise de Comportamento.

Para conhecer as oportunidades da Unicesumar, acesse o site da instituição.

Leia também:

> Curso de Produção Cervejeira EAD é o primeiro reconhecido pelo Conselho Federal de Química

> Busca por cursos na área da saúde cresce em meio à pandemia

Colunistas