nsc
    dc

    Brasileiro

    Criciúma empata sem gols com a Ponte Preta no Heriberto Hülse, pela Série B 2019

    Tigre tem 10 minutos de abafa no segundo tempo, mas não consegue vitória na estreia de Waguinho Dias diante da torcida

    03/09/2019 - 22h22

    Compartilhe

    João Lucas
    Por João Lucas Cardoso
    Criciúma empata em 0 a 0 com a Ponte Preta pela Série B 2019
    Criciúma empata em 0 a 0 com a Ponte Preta pela Série B 2019
    (Foto: )

    Dez minutos de abafa e placar zerado. Este foi o saldo do Criciúma no empate com a Ponte Preta na noite desta terça-feira de abertura da 21ª rodada da Série B 2019. Na partida que marcou a estreia do técnico Waguinho Dias no Heriberto Hülse - e do reencontro com Gilson Kleina, seu antecessor - estiveram no estádio 2.583 torcedores.

    A maioria deles passou perto de comemorar gol entre seis e 16 minutos do segundo tempo, quando o Tigre empilhou chances e consagrou o goleiro Ygor. Foram esta faria do jogo, a partida foi de pouquíssimas oportunidades e erros na criação das jogadas.

    O técnico Waguinho Dias vai ter uma semana de treinamento desde que assumiu o Criciúma, o que ainda não ocorreu. A próxima partida é na terça-feira seguinte. Às 21h, o Tigre vai enfrentar o América-MG no Independência, em Belo Horizonte, pela 22ª rodada da Série B 2019.

    O jogo

    O Criciúma tomou a bola e o campo de ataque desde o começo. Chegou em uma oportunidade com Wesley aos dois minutos, em que o chute fechado, com cara de cruzada rasteira, foi defendido. A Ponte Preta tentava encaixar uma escapada em velocidade. Assim, a partida seguia arrastada, sem lances de perigo, às vezes com o time de Campinas a tentar ter a posse e construção de jogadas.

    Faltava ao Tigre tranquilidade na hora de encaminhar para a finalização. Não foram poucas as vezes em que a equipe da casa chegava em quantidade de jogadores nos arredores da grande área da Macaca. Porém, o Criciúma parava na marcação ou em um toque errado. O lance de algum perigo em toda a etapa foi uma cruzada na área carvoeira em que Roger ajeitou para o companheiro, mas a defesa tricolor impediu a conclusão.

    - A bola está batendo e voltando, os times marcam bem. É um jogo de luta - resumiu o lateral-direito Maicon na saída do intervalo.

    O jogo foi retomado depois do intervalo da mesma forma da etapa inicial. A solução foi a bola parada. Aos seis, o lateral-esquerdo Marlon bateu escanteio, Leo Gamalho deu casquinha enquanto Igor saiu para não achar nada. Passou perto. No lance seguinte, Maicon tentou um cruzamento fechado que virou finalização. Dessa vez o goleiro da Ponte achou. Desviou com a ponta dos dedos para fora.

    O Criciúma começava a pressão. Três minutos depois, a defesa furou no corte da cruzada de Marlon e Reinaldo teve o chute resvalado para fora. No escanteio batido, Vinícius cabeceou no gol, mas Ygor fez grande defesa. Faria novamente aos 12, quando Marlon mandou um foguete de fora da área e o goleiro espalmou para fora. O Tigre ficaria mais ofensivo com a primeira troca. Entrou o atacante Reis e saiu o meia Daniel Costa.

    Em cima, aos 16, o Criciúma levou perigo novamente em escanteio batido por Marlon. A batida achou Liel no segundo pau. O volante testou rente ao poste pontepretano. Foi a última dos 10 minutos de abafa do Tigre, sem sucesso. É que a Ponte Preta voltou a equilibrar a partida. Por isso Waguinho Dias fez nova mexida: saiu Reinaldo e entrou Caíque para fortalecer o meio. Maicon virou a perna em um corte e aos 29 deu lugar a Carlos Eduardo.

    Então o jogo definitivamente voltou ao cenário do primeiro tempo. A bola parada reapareceu como alternativa aos 39, quando Sandro emendou escanteio para a defesaça de Ygor, sobre a linha. A partida foi encerrada com um incômodo ao técnico Waguinho Dias. Nos dois primeiros jogos, dois empates e o tricolor não encontrou as redes com ele na área técnica.

    FICHA TÉCNICA - Criciúma 0 x 0 Ponte Preta

    CRICIÚMA

    Luiz; Maicon (Carlos Eduardo), Sandro, Derlan e Marlon; Liel, Wesley e Daniel Costa (Reis); Reinaldo (Caíque), Léo Gamalho e Vinícius. Técnico: Waguinho Dias.

    PONTE PRETA

    Ygor Vinhas; Arnaldo, Renan Fonseca, Reginaldo e Diego Renan; Edson, Camila, Tiago Real (Edílson) e Rafael Longuine (Gerson Magrão); Dadá (Marcondele) e Roger. Técnico: Gilson Kliena.

    CARTÕES AMARELOS: Léo Gamalho (C). Camilo e Diego Renan (P)

    ARBITRAGEM: Lucas Paulo Torezin, auxiliado por Luciano Roggenbaum e Luiz Souza Santos Renesto (trio do PR).

    BORDERÔ: 2.583 torcedores, para renda de R$ 46.000.

    LOCAL: estádio Heriberto Hülse.

    Leia mais notícias do Criciúma EC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas