nsc
hora_de_sc

TV

Déa Lúcia, mãe de Paulo Gustavo: "Conheço várias pessoas que não querem se vacinar ou usar máscara"

De aniversário, Déa Lúcia Vieira Amaral participou do programa Mais Você, de Ana Maria Braga

17/09/2021 - 09h39

Compartilhe

Marina
Por Marina Martini Lopes
Déa Lúcia Vieira Amaral
Em conversa com a apresentadora Ana Maria Braga, Déa comentou a saudade do filho, morto em maio, em consequência da Covid-19
(Foto: )

Déa Lúcia Vieira Amaral, mãe de Paulo Gustavo, mais conhecida como Dona Déa, participou do programa Mais Você na manhã desta sexta-feira (17). Em conversa com a apresentadora Ana Maria Braga, Déa comentou a saudade do filho, morto em maio, em consequência da Covid-19; e fez um apelo pela vacinação e pelo uso de máscaras.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

- Eu tive Covid em dezembro, e não sabia - ela contou na entrevista. - Eu estive com as crianças, e Romeu [um dos filhos de Paulo Gustavo] estava resfriado, aí Paulo me pediu para ir fazer o exame. Eu não tive nada. Eu era uma que, se não usasse máscara, ia estar por aí contaminando todo mundo. Paulo Gustavo me ligava e dizia: "Mãe, você é tão raça ruim que nem o Covid pode com você."

Ana Maria Braga comentou como Paulo Gustavo sempre falava sobre sua ansiedade para se vacinar, e Dona Déa fez um apelo pela adesão às vacinas e pelo uso de máscaras.

- Eu conheço várias pessoas que não querem se vacinar e também não querem usar máscara - reclamou. - Você anda à noite pela cidade e está todo mundo tomando uma cervejinha, todo mundo sem máscara. Tem uma pessoa muito chegada a mim que só descobriu que estava com Covid porque a esposa voltou para dar aula e uns cinco dias depois acordou sem olfato. Fez o teste, os dois, marido e mulher, com Covid. Hoje eu conversei com ele, cedinho, pelo telefone, e ele disse: "Imagina se a gente anda sem máscara por aí, eu não saberia que estava com Covid, ia contaminar todo mundo."

> Vídeo: Orlando Bloom é cercado por tubarão enquanto pratica stand up paddle

- Se quer morrer, o problema é dele, se mata - disparou Déa. - Mas ele pode pegar a doença e transmitir para pai, mãe, filho, sobrinho, avó. Quem não se vacina é um absurdo, o fim da picada. E tem que ter vacina, né? Os políticos pararem de roubar pra poder comprar vacina. A gente vive um horror hoje em dia com esses políticos, e sem exceção. Não é só A, B ou C, não. Estamos vivendo numa era de terrorismo.

A entrevista marcou o aniversário de Déa Lúcia, que recebeu, em vídeo, os parabéns de Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, e de Romeu e Gael, filhos dos dois. Emocionada, falou:

- Meu genro faz tudo por mim. Meu filho soube escolher um homem maravilhoso.

> Whindersson desmente colunista e diz que não se encontrou com Luisa Sonza

Ao fim da conversa, Dona Déa disse que a vida passa "assim", estalando os dedos ao falar, indicando como o tempo passa depressa.

- Vamos viver o hoje - incentivou. - Viver bem e fazer o bem. É assim que deve ser.

Leia também:

> Jade Picon: saiba a idade e a polêmica envolvendo Neymar

> Whindersson Nunes e Felipe Neto trocam indiretas pelo Twitter: "É o próprio Jesus"

> Compositor brasileiro acusa Adele de plagiar música de Martinho da Vila

Colunistas