nsc
dc

De olho

Declaração do IR 2021 começa nesta segunda; veja regras e calendário de restituição

Entrega da declaração do Imposto de Renda 2021 vai até as 23h59min de 30 de abril

01/03/2021 - 08h04 - Atualizada em: 05/03/2021 - 12h24

Compartilhe

Por Carolina Marasco
Aplicativo permite fazer a declaração do IR 2021
Aplicativo permite fazer a declaração do IR 2021
(Foto: )

O prazo para declarar o Imposto de Renda 2021 começa nesta segunda-feira (1º). Desde as 8h, os contribuintes podem abrir o sistema e prestar contas na Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física 2021 (ano-base 2020). O download do programa de declaração já pode ser realizado em computadores ou celulares e também está disponível no site da Receita Federal.

De acordo com a Receita Federal, o prazo de entrega da declaração do IR 2021 vai até as 23h59min de 30 de abril. Neste ano, são esperadas 32.619.749 declarações. No ano passado, foram enviadas 31.980.146 declarações.

> Confira as regras do Imposto de Renda 2021

Pelas estimativas da Receita Federal, 60% das declarações terão restituição de imposto, 21% não terão imposto a pagar nem a restituir e 19% terão imposto a pagar.

Calendário de Restituição

As restituições do Imposto de Renda 2021 serão pagas em cinco lotes, assim como em 2020. O primeiro lote será depositado no dia 31 de maio.

1º lote: 31 de maio

2º lote: 30 de junho

3º lote: 30 de julho

4º lote: 31 de agosto

5º lote: 30 de setembro

> Auxílio Emergencial 2021: benefício volta em março com parcelas de R$ 250, diz Bolsonaro

> Veja o calendário de pagamentos do PIS/Pasep 2020-2021

Novidades do IR 2021

As regras para a entrega da declaração do Imposto de Renda foram divulgadas na semana passada pela Receita. Entre as principais novidades, está a obrigatoriedade de declarar o auxílio emergencial para quem recebeu mais de R$ 22.847,76 em outros rendimentos tributáveis e a criação de três campos na ficha “Bens e direitos” para o contribuinte informar criptomoedas e outros ativos eletrônicos.

O prazo para as empresas, os bancos e demais instituições financeiras e os planos de saúde fornecerem os comprovantes de rendimentos acabou na última sexta-feira (26). O contribuinte também deve juntar recibos, no caso de aluguéis, de pensões, de prestações de serviços, e notas fiscais, usadas para comprovar deduções.

> CPF e dados vazados? Saiba o que fazer

*Com informações da Agência Brasil

Colunistas