nsc
    dc

    Golpes

    CPF e dados vazados? Saiba o que fazer

    Especialista ensina como saber se as suas informações estão nos pacotes comercializados na internet e alerta para os riscos

    02/02/2021 - 10h00 - Atualizada em: 16/02/2021 - 09h44

    Compartilhe

    Fernanda
    Por Fernanda Mueller
    Mais de 223 milhões de brasileiros tiveram os dados vazados na internet
    Mais de 223 milhões de brasileiros tiveram os dados vazados na internet
    (Foto: )

    O vazamento dos números de CPF entre outros dados pessoais de mais de 223 milhões de brasileiros, incluindo pessoas que já morreram, acendeu um alerta para golpes e crimes que podem ser realizados com essas informações. Descubra se os seus dados estão nos pacotes comercializados na internet e o que fazer para se proteger.

    > Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

    Qual o perigo de ter os dados vazados?

    Além dos CPFs, os pacotes que estavam sendo vendidos em um fórum online, incluíam informações como foto pessoal, endereço, telefone, e-mail, score de crédito, salário, lista de familiares, dados de veículos, além de benefícios do INSS e programas sociais (como o Bolsa Família).

    A advogada Ana Isabel Mendes, especialista em proteção de dados, explica que além da simples exposição de informações privadas, a pessoa que teve dados compartilhados pode ser vítima de diversos golpes e crimes:

    — Pode ocorrer a inscrição do titular de dados em contas aleatórias ou suspeitas, filiação a times de futebol e partidos políticos, solicitação de cartão de crédito em nome do titular do dado, e utilização dos dados para realização de ataques e crimes contra outras pessoas. 

    > Vazamentos de dados: saiba se o seu nome foi usado para abrir contas ou pedir empréstimos

    Como saber se o seus dados foram vazados?

    Depois que ocorreu o grande vazamento de dados, um programador criou um site chamado "Fui Vazado", onde as pessoas podem verificar se seus dados estão nos pacotes comercializados na internet. Ana Isabel Mendes indica a plataforma para que as pessoas saibam se suas informações pessoais estão correndo risco e fiquem atentas aos possíveis golpes.

    Para saber se teve informações vazadas e quais delas estão disponíveis online, basta fornecer o CPF e sua data de nascimento, que a plataforma fará o cruzamento dos dados com a base disponibilizada pelos golpistas.

    Site Fui Vazado
    Site Fui Vazado
    (Foto: )

    A advogada também sugere outra plataforma, em inglês, chamada “Have I Been Pwned”, na qual você pode consultar se o seu e-mail foi vazado. Caso isso tenha acontecido, o site informa a origem do vazamento e qual a orientação a seguir — se vale trocar a senha, por exemplo.

    Site Have I Been Pwnd
    Site Have I Been Pwnd
    (Foto: )

    > Golpe do WhatsApp: como ativar a segurança em duas etapas para ficar seguro

    O que fazer se o seus dados foram vazados?

    - Registrar um boletim de ocorrência; 

    - Acompanhar os extratos de sua conta bancária e do cartão de crédito; 

    - Monitorar a movimentação do seu cadastro no SPC/Serasa; 

    - Estar atento a mensagens, e-mails e SMS que informem códigos para verificação de conta, pois, através deles, muitos criminosos fazem a clonagem; 

    - Avisar amigos próximos e familiares, pois se o criminoso tentar se passar por você, pedindo dinheiro, por exemplo, essas pessoas saberão que é um golpe; 

    - Como ainda não foi constatada a origem do vazamento, não é possível propor uma ação judicial para reparar os danos. Caso o responsável seja identificado, havendo prejuízo material ou moral, a orientação é contratar um advogado para auxiliar no processo de indenização; 

    - Caso tenha acontecido a fraude através de uma plataforma, como WhatsApp, deve-se entrar em contato com a empresa envolvida.

    > Saiba mais sobre como identificar fraudes e perfis falsos no WhatsApp

    Como se proteger de golpes?

    É importante ter cautela no meio digital, evitando clicar em links desconhecidos, passar códigos por e-mail, WhatsApp ou telefone e realizar cadastro apenas em sites confiáveis. Além disso, Ana Isabel Mendes sugere que as pessoas concedam o mínimo de dados possíveis a terceiros, somente aqueles destinados à finalidade. 

    — Vou à farmácia para comprar um medicamento, por exemplo. A concessão do meu CPF está realmente ligada à compra do medicamento? Se não, há um desvio de finalidade, e aí aconselho a não conceder — explica.

    A advogada também destaca que a Lei Geral de Proteção de Dados veio para regularizar toda esta situação, protegendo os titulares de dados, trazendo uma política que deve ser adotada por pessoas físicas ou jurídicas. 

    — Sugiro que se exija que, quem colete os nossos dados, esteja adequado à essa legislação, porque ela traz toda uma gama de proteção, que vai desde a coleta de dados mínimos e com finalidades previstas na lei, minimizando riscos, até a política adotada após o vazamento dos dados, no sentido de minimizar os prejuízos e conferir uma relação de transparência com os titulares dos dados — destaca a advogada.

    Leia mais

    Golpe do WhatsApp, boleto falso e fraude bancária: conheça os crimes digitais mais comuns

    Cidade de SC é a terceira mais rica do Sul do Brasil

    Documento mostra quais foram os 310 primeiros imigrantes da Colônia Blumenau

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas