nsc

    Investigação

    Delegado revela dificuldade em identificar invasores do Scarpelli

    Polícia Civil segue ouvindo testemunhas e analisando imagens

    12/09/2020 - 10h26 - Atualizada em: 12/09/2020 - 21h19

    Compartilhe

    Mateus
    Por Mateus Boaventura
    Invasão aconteceu no último sábado (05)
    Invasão aconteceu no último sábado (05)
    (Foto: )

    Uma semana após a invasão no Orlando Scarpelli durante o treino do Figueirense, a Polícia Civil segue ouvindo testemunhas e analisando imagens das câmeras de segurança do interior do estádio e entorno. O delegado Paulo Hakim, responsável pela Delegacia de Polícia do Continente, em Florianópolis, revelou que a identificação dos responsáveis pode demorar mais do que eles esperavam.

    — Importante ressaltar que os invasores utilizavam máscaras e capuzes, o que torna a identificação dos envolvidos um processo não tão célere como gostaríamos. A perícia no local já foi realizada e aguardamos o laudo pericial elaborado pelo IGP — revelou.

    >> Atletas do Figueirense prestam depoimentos à Polícia Civil

    Durante a semana, funcionários e jogadores prestaram depoimentos. Ainda faltam algumas testemunhas e isso pode alterar o prazo de conclusão das investigações. 

    — Em razão da impossibilidade de comparecimento de alguns jogadores até o momento na Delegacia de Polícia, seja por receio do ocorrido ou de incompatibilidade de horário, na próxima semana ainda iremos colher outros depoimentos. O prazo legal para concluir as investigações é de 30 dias, sem prejuízo de prorrogação caso haja necessidade — detalhou o delegado Paulo Hakim.

    >>Jogadores cruzam os braços no Brasileirão em protesto à invasão no Figueirense

    A primeira análise após a abertura do inquérito apontou que supostamente ocorreram crimes de ameaça, dano, lesão corporal, porte ilegal de arma de fogo, além de infração do artigo 41 do estatuto do torcedor.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas