nsc
hora_de_sc

Colisão

Diretor da Copa Lord morre em acidente de trânsito em Florianópolis

Segundo a polícia, o motorista de carro cortou a frente do motociclista e se recusou a fazer o teste do bafômetro

16/07/2021 - 07h53 - Atualizada em: 16/07/2021 - 12h43

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Paulo Ricardo trabalhava como barbeiro e motoboy
Paulo Ricardo trabalhava como barbeiro e motoboy
(Foto: )

Um motoboy de 31 anos morreu em um grave acidente de trânsito na noite de quinta-feira (15) no Itacorubi, em Florianópolis. A vítima estava a caminho de uma entrega por volta das 22h30min, quando, segundo a Polícia Militar Rodoviária, um carro cortou a frente da moto dele na SC-404. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

A polícia diz que o motorista do Gol se recusou a fazer o teste do bafômetro. Depois de colidir de frente com a motocicleta, o carro bateu em um muro. Quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local, a vítima já estava em óbito.

O acidente gerou revolta nas pessoas que passavam pela Rodovia Ademar Gonzaga esquina com a Rodovia Amaro Antônio Vieira. O motoboy, identificado como Paulo Ricardo Patrício, era barbeiro e também diretor de bateria da escola de samba Embaixada Copa Lord, em Florianópolis.

Figuras do samba da Capital lamentaram a morte do colega e pediram por Justiça. A escola Copa Lord se manifestou desejando força à diretora de harmonia Fernanda Dutra, companheira de Paulo Ricardo. 

> Ônibus fica destruído após pegar fogo em Florianópolis; veja vídeo

A Polícia Militar Rodoviária precisou escoltar o motorista do carro que causou o acidente até a delegacia da Capital para que as medidas cabíveis pudessem ser tomadas.

Sinais de embriaguez

Por volta das 7h, a assessoria de comunição da PMRv informou à reportagem que o motorista do Gol apresentava sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. O delegado e chefe da Central de Plantão de Polícia, Laurito Akira Sato, informou, porém, que o auto de prisão em flagrante foi lavrado por homicídio culposo e que a polícia não preencheu o auto de constatação de embriaguez. Por isso, o suspeito não foi encaminhado ao médico legista para constatação de um perito.

> Indo para a escola, menino de 10 anos é atropelado por motorista bêbado

Perguntado sobre o não preenchimento do documento, o comandante da PMRv, Marcelo Egidio Costa, disse que a posição oficial do órgão é de que o homem não apresentava sinais de embriaguez. O coronel ainda explicou que caso o suspeito estivesse com sinais de embriaguez e o auto de contestação não fosse preenchido, isso consistiria em prevaricação, um crime contra a Administração Pública por praticar indevidamente um ato de ofício.

Agora, a polícia não investiga a embriaguez, já que o auto em flagrante é pelo homicídio culposo (sem intenção de matar) e não cita que o motorista estava bêbado.

Leia também

Litoral de SC tem risco de mar agitado e ventos de 90 km/h

Hang revela troca de helicóptero por chocolate; entenda o caso

13° salário de Santa Catarina cai nas contas nesta sexta-feira

Colunistas