nsc
nsc

Destaque no setor

Do Sillicon Alley ao Brasil: Como a Warren pretende transformar o mercado de investimentos do país

Com planos personalizados para todos os tipos de investidor, a corretora está entre as principais referências do segmento

03/08/2021 - 14h52 - Atualizada em: 03/08/2021 - 14h57

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Warren revoluciona mundo dos investimentos
"O investidor no centro de tudo" é o lema da Warren, que visa redefinir o mercado financeiro no Brasil.
(Foto: )

Investir é complexo. Como estão disponíveis milhares de produtos financeiros, é comum ficar perdido, principalmente quem não tem noções de economia. As quedas nas taxas de juros trouxeram muitos investidores para o mercado de capitais, mas com a inflação em alta e tendência de aumento na Selic, não se sabe o quanto esse cenário vai durar.

> Como a independência financeira pode ser uma ferramenta de empoderamento feminino

O número de investidores ativos na B3, a Bolsa de Valores brasileira, já passa de 3,79 milhões, que movimentam valores que chegam a R$ 538,86 bilhões. Esse público busca rentabilizar mais o patrimônio, visto que a inflação corrói o poder de compra da população.

Seja em renda fixa ou variável, o fato é que muita gente investe mal. Um estudo da Brazil Fintech Study mostra que há R$ 4 trilhões investidos em péssimos produtos financeiros no Brasil.

Aline Belloli, especialista de investimentos da Warren, acredita que a burocracia dos bancos, que segundo ela oferecem uma péssima experiência digital e conflitos de interesse, são fatores que levam a esse resultado.

— Bancos e escritórios de assessoria distribuem produtos ganhando comissionamento e, por isso, nem sempre oferecem o melhor para o cliente — alerta.

Transformar o mercado brasileiro de investimentos

O investidor no centro de tudo. É com esse lema que uma empresa criada nos Estados Unidos passa a ser cada vez mais conhecida no Brasil, na busca por redefinir o mercado no país. A ideia da Warren nasceu no final de 2014, em uma região chamada Silicon Alley, ao sul da ilha de Manhattan.

Os primeiros sócios-fundadores, com grande experiência no mercado de investimentos, com desejo de transformá-lo e acabar com as suas incoerências, vieram para o Brasil e iniciaram as operações em 2017.

Desde lá, a história só acelerou. Entre a passagem por duas sedes em Porto Alegre, rodadas de investimento bem-sucedidas e um crescimento exponencial, a Warren conta hoje com 200 mil clientes, 6,5 bilhões sob gestão e mais de 400 colaboradores. A empresa possui escritórios em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Florianópolis, Jaraguá do Sul, Itajaí, Joinville, Blumenau e Miami.

— Temos um time completo de especialistas em investimentos, desenvolvedores, designers, gestores e muito mais. Todos com uma característica em comum: querem fazer mais, melhor e não se conformam com o básico, e uma missão, que é acabar com os conflitos do mercado financeiro e democratizar formas melhores de investir — reforça Belloli.

Modelo com zero conflito de interesse

Quando o investidor busca um produto financeiro, encontra um modelo no mercado com taxa de corretagem, taxa de administração, spreads escondidos, rebates secretos e taxa de custódia. No modelo Warren, há uma única taxa. Além disso, a Warren trabalha com comissão zero em produtos próprios.

— Trabalhamos com um modelo de taxa única sobre o patrimônio, inspirado no modelo fee-based, que hoje é comum apenas em family offices, escritórios dedicados a investidores com patrimônio na casa das centenas de milhões. De acordo com o valor investido, a taxa única da Warren varia entre 0,5 e 0,7% ao ano sobre o total do patrimônio aplicado. É um valor que sai em média três vezes mais barato do que a soma das taxas cobradas em outras casas de investimento brasileiras — detalha a especialista.

A Warren oferece uma maneira pioneira no Brasil de pensar o seu dinheiro: o investimento por objetivos. Em vez de escolher produto a produto, como ocorre em bancos e outras corretoras, o cliente constrói carteiras que correspondem com os desejos. Segundo Belloli, a empresa dá acesso a todos os produtos do mercado com 100% de cashback em comissões ou spreads.

— Além de produtos próprios, a Warren oferece mais de 1000 produtos de terceiros, administrados pelas principais gestoras brasileiras. Ao investir em um destes produtos pela plataforma, nós devolvemos para os clientes 100% da comissão que recebemos. O cashback em produtos de terceiros e em spreads demonstra o nosso compromisso com a ausência de conflito de interesses. Não queremos lucrar a partir de tarifas escondidas e que prejudicam o seu potencial de rentabilidade. Queremos que você alcance a melhor performance nos seus investimentos. Assim, crescemos juntos — completa.

> Afinal, o que é educação financeira? Entenda a importância do tema e como aplicar na rotina

Entender o cliente é o primeiro passo para oferecer a melhor experiência. É por isso que a Warren possibilita diversos jeitos de investir, adequados à necessidade, interesse e nível de exigência de cada pessoa.

Quer saber mais sobre a Warren? Acesse o portal e siga a empresa nas redes sociais.

Acesse o canal Investe Mais no NSC Total e fique por dentro do mundo dos investimentos.

Leia também

Warren Brasil recebe novo aporte de R$ 300 milhões de fundo soberano de Singapura

Pensando em investir em Previdência Privada? Especialista esclarece as cinco dúvidas mais comuns

10 passos para começar a investir seu dinheiro agora

Colunistas