nsc
an

Estelionato

Duas mulheres perdem R$ 12 mil em golpe de cartão de crédito em Jaraguá do Sul

Em menos de 30 minutos, polícia registrou duas ocorrências semelhantes no município

18/03/2021 - 14h19

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Polícia afirma que golpes semelhantes são comuns na região
Polícia afirma que golpes semelhantes são comuns na região
(Foto: )

Dois crimes semelhantes de estelionato foram registrados em Jaraguá do Sul na última quarta-feira (17). A Polícia Militar (PM) foi acionada em dois momentos diferentes durante a noite. Em um deles, as vítimas perderam mais de R$ 12 mil.  

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

No primeiro registro, feito às 20h33 pela PM no bairro São Luiz, um homem de 47 anos entrou em contato com a Central Regional de Emergência para informar a tentativa do crime. Segundo ele, uma suposta agência bancária fez uma ligação para informá-lo sobre a necessidade da vítima bloquear e trocar o cartão de crédito porque teria sido clonado. 

Os suspeitos pelo estelionatário pediram, ao telefone, alguns dados bancários e informações confidenciais à vítima que, por sua vez, cedeu. Na sequência, os criminosos disseram que se deslocariam até a casa dele para buscar os cartões. Neste momento, o homem desconfiou e acionou a polícia. 

> Golpe pelo WhatsApp usa vacinação da Covid em SC para clonar contas

Pouco tempo depois, às 21 horas, a polícia registrou outro crime semelhante no município, no bairro Três Rios do Norte. No entanto, desta vez, as vítimas chegaram a ter valores que somavam mais de R$ 12 mil debitados da conta. 

Conforme a PM, o crime aconteceu da mesma forma. Os suspeitos ligaram informando que os cartões haviam sido clonados, pediram mais informações e disseram que um funcionário do banco iria à casa das vítimas, duas mulheres de 59 e 29 anos, para buscar o material. 

> Golpe do WhatsApp: saiba o que fazer e entenda tudo sobre

A situação aconteceu durante a tarde. No entanto, elas perceberam o golpe à noite quando viram mais de R$ 12 mil debitados da conta. 

A polícia tentou localizar os suspeitos, mas até a tarde desta quinta-feira (18) ninguém foi preso. A Polícia Civil também investiga o caso. 

> CPF e dados vazados? Saiba o que fazer

Segundo o delegado Luiz Carlos Gross, esse tipo de crime é muito comum. Ele afirma que, em média, são registrados 10 boletins de ocorrência sobre estelionato por dia. Destes, diariamente pelo menos quatro costumam ter relação com clonagem de cartão e três com clonagem de whatsapp. 

- O modus operandi é sempre o mesmo. As vítimas costumam ser idosas e eles buscam pessoas que moram em regiões sem aparatos de segurança, como câmeras, por exemplo - detalha.

> Vazamentos de dados: saiba se o seu nome foi usado para abrir contas ou pedir empréstimos

Ainda conforme o delegado, o perfil das vítimas também é semelhante. Costumam ser pessoas mais idosas. Ross alerta: 

- Nunca se deve dar o seu cartão para ninguém, nem informações por telefone. Além disso, o banco nunca vai enviar algum funcionário até a casa do cliente. É preciso ficar atento - pontua. 

Colunistas