nsc
an

Buscas

Dupla suspeita de ajudar Lázaro é presa com apoio de aplicativo criado em Joinville

Aplicativo ajudou a polícia a identificar a localização do esconderijo em Goiás

25/06/2021 - 09h14

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Lázaro Barbosa
Lázaro está foragido desde o dia 9 de junho
(Foto: )

A Polícia conseguiu prender dois suspeitos que estariam ajudando o serial killer Lázaro Barbosa a se esconder em Goiás. A dupla foi detida na cidade de Girassol nesta quinta-feira (24) à noite, e um aplicativo desenvolvido em Joinville ajudou as equipes na busca pelo local exato do esconderijo.

> Quem é Lázaro Barbosa, o serial killer de Goiás

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Os dois presos sob acusação de darem cobertura à fuga de Lázaro foram identificados como Elmi Caetano Evangelista, de 74 anos; e Alain Reis de Santana, 33. O idoso é dono da chácara situada na área rural de Girassol (GO) e Alain seria o seu caseiro.

Elmi foi detido por policiais penais do Distrito Federal, que já haviam recebido a informação de que o serial killer estaria recebendo ajuda de moradores da região.

> Lázaro Barbosa obrigou refém a fazer declaração de amor para a mulher

O setor de inteligência da polícia já havia recebido denúncias sobre o paradeiro dos dois, e ativações feitas no aplicativo Brasil+Seguro ajudaram a equipe a identificar a localização e fazer as prisões. O criador do app, Edivaldo Veiga, destacou a parceria do setor de segurança com a tecnologia, o que possibilitou as detenções:

- A inteligência já estava monitorando comunicações mas não sabia a localização exata. As denúncias feitas pelo aplicativo levaram a polícia a saber exatamente o local em que essas duas pessoas estavam. E toda a busca foi feita em cima dessa denúncia que confirmou o que a inteligência já tinha.

O aplicativo

A polícia começou a utilizar o app nas buscas por Lázaro no início da semana. O sistema de proteção Brasil+Seguro é um dispositivo gratuito que pode ser acionado pela população em situações de perigo ou emergência por meio de um botão de alerta. A notificação é direcionada para o órgão competente, que pode agir a partir do comunicado.

> Lázaro usou celular de refém para enviar mensagens durante assalto; entenda

O aplicativo já é usado na Amazônia e Pantanal para o mapeamento de focos de queimadas. No caso do serial killer, o sistema possibilita que os moradores da região enviem de forma rápida e precisa a geolocalização de alguma atividade suspeita que avistaram.

"Rede de psicopatas", diz secretário de Segurança Pública de Goiás

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, chamou as pessoas que estão ajudando Lázaro de uma "rede de psicopatas". De acordo com o secretário, só psicopatas poderiam ajudar Lázaro, que tem uma extensa ficha criminal. Para o titular da Segurança Pública de Goiás, somente essa ajuda poderia justificar o fato de o criminoso não ter sido preso até agora.

“Sabíamos que não era normal ele conseguir fugir por tanto tempo sem ajuda, sem uma rede ajudando ele”, completou. Miranda destacou que os envolvidos estão sendo ouvidos e serão autuados por porte ilegal de armas e facilitação de fuga. Dependendo das investigações, poderão ser considerados, ainda, cúmplices ou coautores dos crimes praticados por Lázaro.

Com informações do Metrópoles, parceiro do NSC Total.

Leia também:​

> Homem tenta invadir chácara e troca tiros com caseiro; polícia apura se era Lázaro Barbosa

> Advogada de Lázaro pede proteção física e mental em caso de prisão do serial killer

Colunistas