nsc
dc

Crise na saúde

"É o momento de um fechamento rigoroso", diz especialista sobre medidas contra Covid em SC

Médicos e pesquisadores dizem que o Estado vive o pior momento da doença e precisa agir rápido

12/03/2021 - 12h03 - Atualizada em: 12/03/2021 - 16h19

Compartilhe

Fernanda
Por Fernanda Mueller
Em entrevista à NSC TV, especialistas falam sobre o momento da pandemia em SC e no Brasil
Em entrevista à NSC TV, especialistas falam sobre o momento da pandemia em SC e no Brasil
(Foto: )

Após um ano de pandemia, especialistas da saúde analisam o avanço da Covid-19 no Brasil e em Santa Catarina e afirmam que o Estado vive o pior momento da doença. Em entrevista à NSC TV, eles destacaram que as duas únicas alternativas, neste momento de colapso da saúde, são: acelerar a vacinação e diminuir a circulação de pessoas. 

> Lockdown em SC na Justiça: entenda o processo que pede restrições por 14 dias no Estado 

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

O médico infectologista do Instituto Emílio Ribas, Jamal Suleiman diz que o país está vivendo um "cenário de guerra", tanto do ponto de vista do aumento de casos da doença, quanto em relação às medidas adotadas pelos governos.  

— Esse é o momento mais dramático desde que a pandemia se instalou no país, sob todos os aspectos. Do ponto de vista da evolução da doença, o drama é imenso porque a gente caminha para as 300 mil mortes e de um certo sentido nós acabamos naturalizando isso, porque essa tem sido a postura do governo federal. Do ponto de vista de organização, eu acho que a gente vive a mais aguda crise, de absoluta incompetência em relação ao órgão que deveria coordenar essa ação que é o Ministério da Saúde.

Durante o debate, a médica infectologista Sabrina Sabino demonstrou preocupação com a situação do Estado, citando a situação de colapso dos hospitais:  

— É o pior momento da pandemia, com certeza, aqui em Santa Catarina. Nós estamos com um problema gigantesco, lá no gargalo a respeito de falta de leitos de UTI. Está sendo desesperador — relata.  

Conforme o epidemiologista e coordenador da Epicovid-19, Pedro Hallal, apesar de ainda não ter ultrapassado no acumulado, o Sul do país tem os piores dados do Brasil, no momento. Segundo ele, isso aconteceu por conta do relaxamento das medidas. 

— No começo da pandemia, a população gaúcha, catarinense e paranaense respeitaram muito as medidas de distanciamento. Houve um controle bem razoável da disseminação do vírus. É claro que houve óbitos, mas num ritmo muito menor do que o restante do Brasil, pelo menos até setembro do ano passado. A verdade é que essa sensação de que estávamos indo bem fez com que abríssemos a porteira. E com esse vírus não tem erro, se relaxa as medidas, acontece o efeito rebote. 

> Veja como foi a evolução do vírus em Santa Catarina

Especialistas defendem lockdown

É consenso entre os especialitas que a solução, diante deste momento de crise no Estado e em SC, é acelarar a vacinação e diminuir a circulação de pessoas.  

Jamal Suleiman lembra que a imunização no Brasil está muito atrasada em relação aos outros países, principalmente porque continua dependendo de apenas duas vacinas — a CoronaVac e a da Oxford/Astrazeneca —, sem garantia do fornecimento dos produtos. 

> Profissionais de saúde pedem lockdown em Florianópolis: “Oxigênio está a ponto de acabar”

Mas enquanto a vacinação continua lenta, e as negociações com outras fabricantes não saem do papel, para Pedro Hallal o único caminho é um fechamento total de todo o Estado. 

— Para que a gente pudesse manter essas restrições só no final de semana e na madrugada, a gente tinha que combinar com o vírus: 'olha, durante a semana tu não infectas ninguém, só no final de semana'. Não existe isso. É o momento de um fechamento rigoroso, eu diria de três semanas. Os setores econômicos que estão ingressando contra essa medida estão equivocados. Inclusive pelo interesse econômico deles. A economia desses setores vai se recuperar de forma muito mais rápida se o vírus parar de circular desse jeito em Santa Catarina — destacou.

Leia também:

Juiz que analisa restrições já decidiu contra ações do Estado

Um ano de pandemia: as contribuições de SC na luta contra o coronavírus

Vacina, lockdown, tratamento e cura: após um ano de pandemia, quais são as certezas no combate ao coronavírus

Colunistas