nsc
dc

Violência

"É uma dor que dá, que não existe", desabafa pai de bebê baleada no peito em Chapecó

Vítima de bala perdida, menina de 7 meses segue hospitalizada, mas não corre risco de morte

05/08/2021 - 17h53 - Atualizada em: 05/08/2021 - 18h05

Compartilhe

Clarissa
Por Clarissa Battistella
Crime ocorreu no no bairro Seminário no início da tarde
Crime ocorreu no no bairro Seminário no início da tarde
(Foto: )

A motivação ainda é desconhecida, mas a dor que o pai da bebê de 7 meses sentiu ao ver a filha ser baleada no peito na tarde de quarta-feira (4) em Chapecó, no Oeste de SC, continua latente. Levada ao Hospital Materno Infantil logo após o ferimento, a menina seguia internada nesta quinta-feira (5). Dois suspeitos, responsáveis pelos disparos em plena luz do dia, foram presos por tentativa de homicídio no Rio Grande do Sul. O caso é investigado.

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

No colo do pai, a menina brincava a irmã na frente de casa quando dois veículos teriam passado em frente a casa da família em perseguição. Eloir Sander, de 38 anos, conta que os tiros ocorreram durante uma ação que envolveu um carro de luxo e uma caminhonete.

- Foi um susto muito grande. Uma coisa que ninguém quer passar. É uma dor que dá, que não existe. Não existe explicação para isso - desabafou em entrevista à NSC TV.

A caçula dividia o colo do pai com a outra irmã, que estava na garupa. Sander havia sentado na mureta de casa quando viu um carro passar. Apenas um tiro e o tórax da bebê foi perfurado. Segundo o pai, ela não precisou passar por intervenção cirúrgica já que o tiro atravessou o corpo, e nem corre risco de morte.

- Eu vi um Mustang subindo e daí disparo de tiro. O primeiro tiro atingiu minha filha. Ela se encolheu e amarelou. Eu corri e levei ela para o hospital - lembra.

Testemunhas contaram à polícia que um carro de luxo de um empresário foi perseguido por homens que estavam em uma caminhonete. Um dos suspeitos atirou contra o veículo do empresário, que foi atingido por dois disparos. O condutor do carro de luxo, de 50 anos, conseguiu escapar sem ferimentos. 

A primeira versão divulgada era de que o tiro ocorreu durante um assalto. A informação, no entanto, não foi confirmada pela Polícia Civil, que também não revelou se já esclareceu a motivação do crime. Ainda, conforme a investigação, dois suspeitos foram presos na cidade de Severiano de Almeida (RS), município que fica a aproximadamente 130 km de Chapecó. 

A Brigada Militar (Polícia Militar do RS) fez a abordagem e encontrou uma pista de que poderiam ser os autores dos disparos. Assim, ficaram detidos no estado gaúcho. Um inquérito foi aberto para investigar o caso. 

Leia também

Inocente preso em SC morre 8 anos após deixar a cadeia e sem receber indenização

Bandidos atiram contra bases da PM e PRF de Itajaí e Balneário Piçarras

Joinvilense pai de criança morta no RS diz que não sabia de maus-tratos: "sentimento de impotência"

Colunistas