nsc
dc

Pandemia

Em colapso na saúde, Chapecó fecha comércio por mais uma semana para frear Covid-19

Em pronunciamento, prefeito João Rodrigues disse estar “enxugando gelo”

27/02/2021 - 10h46

Compartilhe

Augusto
Por Augusto Ittner
Novas restrições se estendem até 7 de março.
Novas restrições se estendem até 7 de março.
(Foto: )

Chapecó anunciou neste sábado (27) a prorrogação do decreto que impõe medidas mais restritivas em relação às anunciadas pelo governo do Estado. Em pronunciamento, o prefeito João Rodrigues confirmou o fechamento do comércio, bares e restaurantes a partir de segunda-feira (1º) até o domingo (7) às 23h59min. De acordo com o município, a medida tem o objetivo de diminuir a circulação de pessoas e fechar o “ciclo do coronavírus”.

> Receba notícias de SC por WhatsApp. Clique aqui e saiba como

Durante a live, a prefeitura confirmou que as últimas 24 horas foram as mais complicadas desde o início da pandemia em Chapecó. Ao todo, só no Hospital Regional do Oeste (HRO) são 140 pacientes internados com Covid-19. Desses, 119 estão em unidades de terapia intensiva, sendo que 57 em leitos improvisados de enfermaria. Foram nove mortes por complicações relacionadas ao coronavírus na cidade só na sexta-feira (26).

— Estamos enxugando gelo, mas uma hora esse gelo tem que empedrar. Não quero fechar tudo, não é minha vontade. Mas vamos ter que prorrogar o decreto, mantendo comércio, bares, restaurantes fechados até domingo à meia-noite. Peço desculpa aos amigos. Se abrirmos tudo nesta segunda-feira (1º) é prejuízo. É uma decisão que tomo de coração partido, mas temos que fazer — disse Rodrigues durante a transmissão.

O prefeito de Chapecó ainda fez uma provocação a todos os chefes do Executivo do Oeste do Estado, para que seja adotado um único decreto com medidas em todas as cidades do entorno de Chapecó:

— Para surtir efeito em todos os municípios temos que fazer [restrições] juntos.

O novo decreto da prefeitura de Chapecó não havia sido divulgado até a publicação desta matéria. Clique aqui e confira o que abre e fecha na cidade e quais são os serviços considerados essenciais.

Colunistas