nsc
    santa

    Cenário de guerra

    Enxurrada deixa ao menos 9 mortos e bombeiros buscam por desaparecidos em Presidente Getúlio

    Equipes de busca e resgate de Santa Catarina estão mobilizadas para prestar socorro às vítimas da enxurrada que castigou a cidade durante a noite e madrugada

    17/12/2020 - 07h06 - Atualizada em: 17/12/2020 - 17h44

    Compartilhe

    Bianca
    Por Bianca Bertoli
    Por Guilherme Simon
    Augusto
    Por Augusto Ittner
    Fernanda
    Por Fernanda Mueller
    Centro da cidade de Presidente Getúlio, no Alto Vale.
    Centro da cidade de Presidente Getúlio, no Alto Vale.
    (Foto: )

    As fortes chuvas que atingiram o Alto Vale do Itajaí entre a noite desta quarta (16) e a manhã de quinta-feira (17) deixaram ao menos nove mortos na cidade de Presidente Getúlio, segundo a Defesa Civil estadual. O temporal causou alagamentos, deslizamentos de terra, e a enxurrada arrastou moradores. Há pessoas desaparecidas. A cidade está sem energia elétrica e telefonia. A Defesa Civil confirmou ainda uma morte em Ibirama, e outras duas em Rio do Sul.

    > Receba notícias de Blumenau direto no Whatsapp. Entre no grupo do Santa.

    Durante a manhã, o governo catarinense chegou a confirmar ao menos 10 mortes e 20 desaparecidos em Presidente Getúlio. Por volta das 10h20min, a Defesa Civil emitiu novo boletim e divulgou que, na verdade, foram confirmadas pelo menos seis mortes na cidade. O número de desaparecidos não foi informado neste novo relatório. Às 18h20min, o Estado oficializou as 12 mortes no total.

    ​Equipes da Defesa Civil Estadual, Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina atuam desde a madrugada no resgate e levantamento de perdas. O acesso à cidade de Presidente Getúlio, que tem cerca de 14 mil habitantes e fica a aproximadamente 80 quilômetros de Blumenau, está bloqueado por causa de deslizamentos de terra.

    > “A situação em Presidente Getúlio é similar à do Morro do Baú em 2008”

    > Chuva provoca alagementos e deslizamentos na Grande Florianópolis

    Ainda segundo o governo de SC, a forte enxurrada foi provocada por 120 milímetros de chuva em um espaço de apenas seis horas — entre as 22h de quarta-feira (16) e as 4h da madrugada desta quinta-feira (17). Outras cidades no Alto Vale também tiveram acumulado considerável: em Rio do Sul, por exemplo, choveu o equivalente a 89 milímetros em 12 horas; em Vidal Ramos, 63 milímetros; Ituporanga, 55 milímetros.

    Conforme os bombeiros voluntários do município, mais de 100 chamados foram feitos entre 22h desta quarta e manhã de quinta. 

    Há dificuldade em chegar aos pontos mais críticos devido aos alagamentos e deslizamentos. Uma ponte cedeu. Moradores relataram que a água dentro dos imóveis passou de um metro.

    — A situação é caótica, nós também estamos vulneráveis pois ficamos sem acesso ou tivemos as casas invadidas [pela água]. O bairro mais atingido é o Revólver — conta o bombeiro Alex de Lima.

    Enxurrada em Presidente Getúlio
    Veículos arrastados por enxurrada em Presidente Getúlio
    (Foto: )

    > Ciclone, vendaval, tempestade, tornado e tufão: entenda a diferença

    O governo enviou o grupo de resposta de Rio do Sul para apoiar os trabalhos dos Bombeiros Voluntários na região, e também determinou o deslocamento de aeronaves do grupo aéreo do CBMSC para atuar nos resgates.

    > SC tem alerta para temporais, ventania e granizo nesta quinta-feira

    — O momento é de solidariedade com todas as vítimas. Estamos trabalhando desde as primeiras horas e nossas equipes já estão no local para levar auxílio para aqueles que foram atingidos em Santa Catarina. A situação ainda é de cautela com novos temporais, por isso é importante que a população se mantenha atenta aos alertas da Defesa Civil — declarou o governador, Carlos Moisés da Silva (PSL).

    Enxurrada em Presidente Getúlio
    Cidade tem cenário de destruição após chuva que deixou ao menos 10 mortos
    (Foto: )
    Enxurrada em Presidente Getúlio
    Chuva alagou ruas, invadiu casas e arrastou pessoas
    (Foto: )

    Operação com as barragens do Alto Vale

    A região Alto Vale do Itajaí foi a mais afetada pelas fortes chuvas que atingiram Santa Catarina na madrugada desta quinta-feira (17), provocando alagamentos, estragos e mortes. Em Rio do Sul, o rio Itajaí-Açu segue em estado de alerta. Conforme a Defesa Civil, na última medição, por volta do meio-dia, o nível estava em 6,23m. A previsão é de declínio para as próximas horas.

    No início da madrugada, às 2h, a Defesa Civil autorizou o fechamento de todas as sete comportas da barragem de Taió e, cinco da barragem de Ituporanga. Com o acumulado de chuvas equivalente a 89 milímetros em 12 horas na cidade, o nível do rio chegou a atingir 6,89 metros, por volta das 7h. 

    Devido à elevação do nível do rio, o acesso ao município foi interrompido.

    No início da manhã desta quinta-feira (17), duas lagoas nas cidades de Taió e Rio do Sul romperam, deixando algumas residências alagadas na região. Em Rio do Sul, foi aberto um abrigo para as vítimas que tiveram que sair de suas casas.

    Governador cancela ida a Presidente Getúlio

    Depois de uma agenda em Blumenau na manhã desta quinta-feira (17), o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés da Silva (PSL), chegou a sinalizar que iria a Presidente Getúlio no começo da tarde. Sem teto para pousar no Alto Vale, porém, o sobrevoo do chefe do Executivo foi cancelada. Conforme o colunista do Santa, Evandro de Assis, nesta sexta-feira (18) o Estado deve começar a contabilizar os estragos.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas