nsc
    dc

    Tragédia

    Chuva provoca mortes, alagamentos e estragos em Santa Catarina

    Doze mortes foram confirmadas no Alto Vale do Itajaí, nove delas em Presidente Getúlio

    17/12/2020 - 05h44 - Atualizada em: 18/12/2020 - 08h36

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    Enxurrada em Presidente Getúlio
    Cidade de Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí, é uma das mais afetadas
    (Foto: )

    A chuva intensa que atingiu Santa Catarina entre esta quarta (16) e quinta-feira (17) deixou ao menos 12 pessoas mortas no Alto Vale do Itajaí, 11 delas na cidade de Presidente Getúlio. Um óbito foi confirmado em Ibirama. Na manhã desta sexta (18), nove pessoas seguiam desaparecidas em Presidente Getúlio e duas em Rio do Sul. As informações foram divulgadas pela Defesa Civil em informe publicado às 22h30min desta quinta. Anteriormente, o órgao havia confirmado duas mortes em Rio do Sul, mas corrigiu a informação.

    > “A situação em Presidente Getúlio é similar à do Morro do Baú em 2008”

    > Enxurrada causa destruição e mortes em Presidente Getúlio

    Até a noite desta quinta, o Instituto Geral de Perícias (IGP) havia identificado 11 pessoas mortas no Alto Vale. Dez delas tiveram o nome divulgado: Pâmela Tais Miranda, 19 anos, Francieli Hamm Wiese, 34, Vera Kloth, 48, Alexia Correa do Nascimento, 19, Daniel Wiese, 44, Dieter Wiese, 50, Elsa Hilma Wiese, 82, Lourdes Sehnem, 57, Lino Leopoldo Sehnem, 89, e Andrei Rangel Bozan, 28. Uma criança também morreu, mas o IGP não deu informações sobre ela. Uma equipe de peritos atua em Presidente Getúlio para reconhecimento e atendimento a familiares.

    Os municípios mais afetados por enxurradas e deslizamentos foram Presidente Getúlio, Rio do Sul, Apiúna e Ibirama, no Vale do Itajaí, e São José e Palhoça, na Grande Florianópolis, segundo balanço da Defesa Civil. Até o fim da tarde, Rio do Sul havia encaminhado decreto de situação de emergência e Presidente Getúlio havia decretado estado de calamidade pública.

    > Fotos e vídeos mostram estragos da chuva em Santa Catarina nesta quinta

    > Veja os cuidados que moradores de áreas atingidas pelo temporal devem ter

    Vale do Itajaí

    Em Presidente Getúlio, a forte enxurrada foi provocada por 120 milímetros de chuva em um espaço de apenas seis horas. Casas foram invadidas pela água e moradores foram arrastados. O acesso à cidade, que tem cerca de 14 mil habitantes e fica a aproximadamente 80 quilômetros de Blumenau, está bloqueado por causa de deslizamentos de terra.

    Enxurrada em Presidente Getúlio
    Vegetação, casas e muros foram arrastados pela força da água em Presidente Getúlio
    (Foto: )

    Ainda no Vale, em Rio do Sul, um abrigo foi aberto devido à inundação de residências. No município de Aurora também houve alagamento em diversos pontos, além de transbordamento de lagoas e inundação de residências. Em Apiúna, a Defesa Civil informou danos em estruturas públicas, ponlhões e ruas danificadas. Já em Ascurra houve deslizamentos, danos a vias públicas e a pontes.

    A BR-470 chegou a ter dois trechos interditados, em Ibirama, e em Agronômica, no km 150, onde um caminhão e um automóvel foram atingidos pelo delizamento de terra. 

    Por volta das 11h40min, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que no km 118 da BR-470 em Ibirama a pista no sentido Oeste continuava interrompida, mas o tráfego era possível, de forma precária, usando uma faixa da pista sentido Litoral. Já o trecho em Agronômica foi normalizado por volta das 10h.

    No começo da tarde, a pista do km 143,9 da BR-470, em Rio do Sul, foi totalmente interrompida para obras emergenciais, sem previsão de liberação.

    > Saiba como e onde fazer doações às pessoas atingidas pelo temporal em SC

    Comportas de barragens foram fechadas

    Em Rio do Sul, o rio Itajaí-Açu segue em estado de alerta. Conforme a Defesa Civil, na última medição, por volta do meio-dia, o nível estava em 6,23m. A previsão é de declínio para as próximas horas.

    No início da madrugada, às 2h, a Defesa Civil autorizou o fechamento de todas as sete comportas da barragem de Taió e, cinco da barragem de Ituporanga. Com o acumulado de chuvas equivalente a 89 milímetros em 12 horas na cidade, o nível do rio chegou a atingir 6,89 metros, por volta das 7h.

    Devido à elevação do nível do rio, o acesso ao município foi interrompido.

    No início da manhã desta quinta-feira (17), duas lagoas nas cidades de Taió e Rio do Sul romperam, deixando algumas residências alagadas na região.

    > Entenda por que a chuva foi tão intensa em Presidente Getúlio

    Grande Florianópolis

    Na Grande Florianópolis, a cidade de Palhoça foi a mais afetada. Motoristas enfrentaram problemas na região do Shopping Via Catarina, no bairro Passa Vinte, onde diversas ruas registraram acúmulo de água. A Defesa Civil registrou deslizamentos em diversos bairros.

    Alagamento na região do shopping Via Catarina, em Palhoça
    Alagamento na região do shopping Via Catarina, em Palhoça
    (Foto: )

    Em São José, a Defesa Civil informou ter registrado 12 ocorrências de alagamento e deslizamentos de terra no bairro Forquilhas. Também houve um desmoronamento do muro de uma casa no bairro Colônia Santana. Não há registro de vítimas até o momento.

    > Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

    Na Capital, Florianópolis, houve formação de bolsões de água em algumas ruas dos bairros Rio Vermelho e Ingleses, no Norte da Ilha. A Defesa Civil está em campo para avaliar a situação.

    A BR-101 registrou alagamento durante a madrugada em pontos da via marginal em Palhoça. Durante a manhã, a água já havia baixado.

    Marginal da BR-101 com pontos de alagamento em Palhoça
    Marginal da BR-101 com pontos de alagamento em Palhoça
    (Foto: )

    Em Santo Amaro da Imperatriz, houve deslizamentos, mas os detalhes sobre estragos ainda estavam em levantamento pela Defesa Civil até a tarde desta quinta.

    Oeste

    Já no Oeste catarinense, a Defesa Civil faz a avaliação dos estragos na cidade de Ouro Verde, onde a garagem da prefeitura foi derrubada por fortes ventos durante a tarde de quarta. Apesar dos danos, ninguém ficou ferido. Em Abelardo Luz, houve queda de granizo, mas não foram registrados prejuízos.

    Estragos em Ouro Verde, no Oeste de SC
    Estragos em Ouro Verde, no Oeste de SC
    (Foto: )

    Sul

    Na Região Sul do Estado, houve atendimentos da Defesa Civil em pelo menos três cidades. Santa Rosa do Sul teve casos de destelhamento e estragos em uma ponte. Já em Siderópolis, um deslizamento atingiu uma residência. Alagamentos, deslizamentos de terra, queda de árvores e obstrução de ruas foram registradas em Urussanga.

    Mais chuva em SC

    A Defesa Civil catarinense alerta que a faixa entre o Centro e o Leste do Estado seguem com chance de temporais pelo menos até o meio-dia desta quinta-feira (17). Há risco de chuva intensa, ventania e queda de granizo. O órgão chama a atenção para os perigos com alagamentos, enxurradas e deslizamentos.

    Para sexta-feira (18) a previsão indica mudanças. O dia começa com tempo mais seco e presença do sol. Ao longo da tarde, no entanto, a nebulosidade ganha força, e o dia deve terminar com mais chuva e risco de novos temporais. 

    O alerta maior é na faixa Leste do Estado, Litoral Norte e Norte catarinense. Nas demais áreas a previsão é de chuvas isoladas. Ou seja, chove em alguns pontos e de forma passageira. Já para o fim de semana, o alerta fica para o domingo, que também deve ter chuva persistente no Estado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas