nsc
hora_de_sc

Polêmica

Eric Clapton diz que vai se recusar a tocar em locais que exijam vacina

Anteriormente, Clapton já fez outras declarações polêmicas, posicionando-se contra as medidas de prevenção ao coronavírus

22/07/2021 - 08h10

Compartilhe

Marina
Por Marina Martini Lopes
Eric Clapton
A declaração de Clapton foi feita ao cineasta Robin Monotti, por meio do aplicativo Telegram
(Foto: )

O guitarrista Eric Clapton declarou que vai se recusar a fazer shows em locais que exijam do público comprovação de vacinação contra a covid-19. A afirmação veio depois do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, declarar que, a partir de setembro, casas noturnas e outros estabelecimentos que recebem grandes eventos na Inglaterra vão exigir que quem quiser entrar comprove que já está vacinado contra o coronavírus. A declaração de Clapton foi feita ao cineasta Robin Monotti, por meio do aplicativo Telegram, e publicada pela revista norte-americana Rolling Stone.

> Saiba como receber notícias do NSC Total no WhatsApp

- Sinto-me na obrigação de fazer um anúncio pessoal: desejo dizer que não me apresentarei em nenhum palco onde haja um público discriminado presente - escreveu o músico. - A menos que haja providências para que todas as pessoas compareçam, eu me reservo o direito de cancelar o show.

Não é a primeira vez que Clapton se manifesta contra a vacinação ou as medidas de prevenção à covid-19: em novembro de 2020, o artista, ao lado de Van Morrison, lançou a música Stand and Deliver, contra o lockdown. Em entrevista à revista Variety, Clapton se disse preocupado com os impactos que as medidas de isolamento social poderiam ter na indústria musical.

> Quem são os popstars que mais inspiraram nomes de bebês nos últimos vinte anos

Já em maio deste ano, após ser imunizado com a vacina Oxford/AstraZeneca, o guitarrista escreveu uma carta a um amigo, dizendo que foi "iludido" por "propagandas" que diziam que ele estaria "seguro" após a vacinação. "Eu tomei a primeira injeção de AZ e imediatamente tive reações graves que duraram dez dias", alegou.

"Eu finalmente me recuperei, e disseram que faltariam doze semanas para a segunda dose... Cerca de seis semanas depois, recebi a oferta e tomei a segunda dose, mas com um pouco mais de conhecimento dos perigos", prosseguiu. "Desnecessário dizer que as reações foram desastrosas. Minhas mãos e pés estavam congelados, dormentes ou queimando, e praticamente inúteis por duas semanas. Eu temi nunca mais tocar. Eu sofro de neuropatia periférica e nunca deveria ter chegado perto da agulha."

Ele também insinuou que a vacina poderia causar infertilidade - uma fake news sem nenhuma comprovação científica. "Meu medo da vacinação é o que isso fará com minhas crianças", disse, em entrevista à Oracle Films. "Parte do motivo, talvez a maior razão pela qual estou aqui falando com você, é para dizer a minhas filhas que elas talvez não possam ter filhos um dia. Mas elas provavelmente não se importam a essa altura da vida."

> Prêmio Multishow vai ter Xuxa, Juliette, Tatá Werneck e Iza

Diante de toda a polêmica, internautas foram além e resgataram um discurso feito por Eric Clapton em um show em 1976: durante uma apresentação em Birmingham, na Inglaterra, ele se posicionou contra a entrada de imigrantes e negros no país.

"Há algum estrangeiro aqui hoje à noite? Eu acho que vocês devem todos sair. Não só sair do show, mas deixar o país", declarou, no palco. "Eu acho que [o político] Enoch [Powell] está certo, e devemos mandá-los todos de volta. Evite que a Grã-Bretanha se torne uma colônia negra. Mantenha-na branca." Cerca de três meses mais tarde, o músico disse em entrevista à revista Sounds que não era ligado a política, e que seu ato foi "estúpido".

Leia também:

> Yasmin diz que Gabriel Medina tem motivo secreto para querê-la nas Olimpíadas

> Mesmo polêmica, J.K. Rowling foi a escritora mais vendida do ano no Brasil

> Pixar, 35 anos: conheça a história da companhia e relembre seus filmes mais famosos

Colunistas