Quando o único evento de Carnaval de rua em Blumenau correu risco de não acontecer, ela decidiu entrar em cena. Regina Cardoso da Silva, 40 anos, ajudou tanto a escola de samba da cidade que virou madrinha da agremiação. A história da Mocidade Unidos do Salto do Norte se cruzou com a de Regina apenas em 2022, mas o apego dela ao Carnaval veio bem antes, quando ela ainda morava no bairro Progresso, na região Sul de Blumenau. Ela lembra das festas que eram feitas em alusão à data na região durante a juventude e o quanto se divertia.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O tempo passou, as festividades perderam força e restou a única escola de samba do município, que faz anualmente o tradicional desfile na Rua Johann Sachse, uma das principais vias do bairro Salto do Norte. Em paralelo, Regina cresceu, trabalhou muito, teve três filhos e seguiu longe da “cultura das próprias raízes”, como gosta de identificar.

No ano retrasado, ao ver uma divulgação da escola, decidiu procurá-la. Depois de muito tempo em casa por causa da pandemia do coronavírus, entendeu que era o momento de se envolver com a cultura. Foi a um ensaio, gostou e se interessou. O contato ainda tímido se estreitou no ano seguinte, quando a prefeitura definiu que não haveria o desfile em 2023.

Conheça as mulheres que são protagonistas no território do samba em cidades de SC

Continua depois da publicidade

Na ocasião, o governo negou o alvará com a justificativa de que houve reclamações à Ouvidoria e “uso inadequado da área pública a ponto de ser necessária a intervenção policial para restabelecer a ordem”. Regina e outros entusiastas do evento fizeram uma força-tarefa no meio político para tentar reverter a decisão e, após a união e a repercussão nas redes sociais, a festa de rua aconteceu.

Conheça as mulheres que são protagonistas no território do samba em cidades de SC

Foi a primeira vez que ela participou de um desfile de Carnaval e, apesar da simplicidade do evento blumenauense, ficou emocionada:

– Eu não sabia a proporção antes de ir. Estava chovendo, tinha 200 pessoas desfilando e mais um monte de gente na rua. Eu não acreditava no que estava vendo.

O encanto foi tanto que Regina, que trabalha como gerente de Eventos na Secretaria Municipal de Cultura, auxiliou a escola a conseguir com que os integrantes participassem do desfile de 2 de Setembro, no aniversário de Blumenau. Na sequência, inscreveu a agremiação no projeto da lei Paulo Gustavo, de incentivo à Cultura.

Continua depois da publicidade

Conheça as escolas de samba que participam do Carnaval de Joaçaba 2024

Com isso, a comunidade conquistou mais de R$ 100 mil, o que promete transformar o desfile deste ano, marcado para o próximo dia 11, um domingo, já que tem recursos nunca antes obtidos. Com toda a dedicação, Regina entrou para a organização da escola de samba e se tornou madrinha dela neste ano. A partir de agora, não quer mais romper esse laço. Um amor à primeira vista e que já deu bons resultados, marcando a história do Carnaval blumenaeuense.

Veja fotos de edições anteriores dos desfiles da escola

Leia também

A história da passista que chegou à vice-presidência de escola de samba de Joinville

Veja 8 cidades com festas para curtir o Carnaval 2024 em SC

Carnaval em Balneário Camboriú terá Michel Teló e trios elétricos; veja agenda

Carnaval Clube NSC: confira a programação de shows e festas para cair na folia

Destaques do NSC Total