nsc

Vacina

Especialista explica decisão da Anvisa em suspender testes com a CoronaVac

Agência anunciou a suspensão dos testes com a vacina

10/11/2020 - 16h51

Compartilhe

Mateus
Por Mateus Boaventura
Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan
Coronavac, vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan
(Foto: )

Um dia após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciar a suspensão dos testes com a CoronaVac por causa da morte de um voluntário que participava dos testes, o Estúdio CBN Diário ouviu uma especialista da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). Pela análise e de acordo com o protocolo, a agência agiu corretamente.

— Como teve a vacinação anterior, ele é considerado um evento adverso. E quando chegar no fim da investigação e descartarem a ligação, o evento fica sem causa da vacina e o estudo segue. Até que se prove o contrário, a gente classica como evento adverso pós-vacinal — explicou a Dra. Lorena de Castro Diniz, membro do Departamento Científico de Imunização da ASBAI.

O Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, que coordenava o grupo de voluntários integrado pela vítima, já havia descartado a relação entre a morte e a vacina. O mesmo foi feito pelas autoridades estaduais. A principal suspeita é que o homem de 33 anos cometeu suicídio ou teve uma overdose.

> Acompanhe a evolução do coronavírus em SC

Como o evento adverso pós-vacinal foi grave, a pesquisa foi suspensa. A especialista ainda usou um exemplo para explicar como funciona o protocolo na criação de vacinas: "Um paciente vai fazer uma vacina da gripe. Na saída do posto de vacinação ele tropeça, torce o pé e cai. Isso a gente tem que considerar como um evento adverso pós-vacinal também", contou.

Ouça a entrevista com a Dra. Lorena de Castro Diniz, membro do Departamento Científico de Imunização da ASBAI:

> SC soma 21 novas mortes por Covid-19 e 1034 casos confirmados

> Quer receber notícias por WhatsApp? Inscreva-se aqui

> Vacina da Pfizer contra Covid-19 é 90% eficaz, apontam resultados da fase 3

Colunistas