nsc
dc

Covid-19

Falta de vacinas impede SC de reduzir intervalo entre doses da Astrazeneca

Ministério da Saúde recomendou que a segunda aplicação seja antecipada para oito semanas após a primeira, mas Estado alega que precisa de mais doses para que isso ocorra

19/10/2021 - 18h33 - Atualizada em: 19/10/2021 - 18h39

Compartilhe

Por Luana Amorim
Ministério afirma que mandou doses suficientes para que os municípios completem o esquema vacinal
Ministério afirma que mandou doses suficientes para que os municípios completem o esquema vacinal
(Foto: )

Mesmo com a recomendação do Ministério da Saúde, Santa Catarina não deve antecipar o intervalo de aplicação da vacina da Astrazeneca. Pelo menos, por enquanto. Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), é necessário que o Estado receba novas doses do imunizante contra Covid-19 para que haja a redução no prazo entre as aplicações.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A mudança na orientação sobre o intervalo entre a primeira e a segunda dose do imunizante da Fiocruz foi divulgada na sexta-feira (15) após uma revisão no Plano Nacional de Imunização. Agora, o MS passou a adotar o intervalo de oito semanas para a Astrazeneca, e não mais de 10 ou 12, como vinha sendo aplicado. 

Para isso, a pasta enviou 3,6 milhões de doses aos Estados para completar o esquema vacinal de toda a população adulta. 

Segundo a Dive, nesta segunda-feira (18), foram enviadas 75.175 doses da Astrazeneca aos municípios de SC para aplicação da segunda dose. O número representa 97% da quantidade enviada no dia 7 de agosto, para utilização na primeira dose. Ou seja, os novos imunizantes têm como objetivo finalizar o esquema vacinal que iniciou em agosto, o que daria um intervalo de mais de 10 semanas.

Além disso, para que todos os catarinenses que se vacinaram durante o período sejam contemplados, é preciso que o Estado receba 2.325 vacinas até o dia 30 de outubro, quando encerra o prazo das 12 semanas. Mas a Dive alega que ainda não recebeu os imunizantes do Ministério da Saúde e, por isso, não é possível fazer a antecipação para oito semanas.

A situação também se assemelha nos municípios. Em Florianópolis, por exemplo, a prefeitura informou que só vai antecipar a segunda dose se chegarem novas vacinas. Na Capital, o prazo para completar o esquema vacinal é de 12 semanas. 

Já em Joinville, no Norte, e em Blumenau, no Vale do Itajaí, as secretarias de Saúde aguardam a orientação do Estado para a redução no prazo. 

Ministério da Saúde diz que já enviou as doses

O Diário Catarinense procurou o Ministério da Saúde para saber quando novas doses da vacina da Astrazeneca devem ser enviadas a Santa Catarina. Em nota, a pasta reiterou que já concluiu o envio de 100% das doses da Astrazeneca necessárias para completar o esquema vacinal de toda a população adulta.

Porém, na plataforma do MS, onde consta a distribuição das vacinas, a última remessa de Astrazeneca a SC ocorreu no dia 9 de outubro, quando foram enviadas 750 doses. 

A reportagem questionou a pasta sobre quando essas demais doses para completar o esquema vacinal foram enviadas, mas não teve retorno até a publicação. 

Sistema do Ministério da Saúde mostra quando as últimas remessas foram enviadas à Santa Catarina
Sistema do Ministério da Saúde mostra quando as últimas remessas foram enviadas à Santa Catarina
(Foto: )

Leia também:

Decreto vai adiar cobrança de ICMS das distribuidoras de energia elétrica e combustível em SC

Comissionados de Blumenau serão obrigados a comprovar vacinação contra Covid-19

Inquérito sobre aplicação de ozônio retal em pacientes com Covid-19 em Itajaí é arquivado pelo MP

Colunistas