nsc
    dc

    Catarinense

    Figueirense pretende banir torcedores que invadiram gramado no clássico com o Avaí  

    Presidente do Figueira aponta Bruno Silva como provocador de reações de parte da torcida alvinegra  

    02/02/2020 - 19h18 - Atualizada em: 02/02/2020 - 20h18

    Compartilhe

    João Lucas
    Por João Lucas Cardoso
    (Foto: )

    O Figueirense pretende banir os torcedores que invadiram o gramado do Orlando Scarpelli, neste domingo, que terminou em vitória do Avaí por 2 a 0. Por volta dos 40 minutos do segundo tempo, um grupo de alvinegros quebraram acrílicos e forçaram passagem por portão na altura das cadeiras das sociais do estádio para partirem em direção ao banco de reservas do Leão da Ilha.

    Depois disso, quando o goleiro Gledson, do Avaí, tentava conter um dos invasores, foi atingido por um chute do volante Bruno Silva, do próprio time, que tentaca acertar o torcedor (veja em detalhes neste link).

    Além disso, ainda houve briga na torcida do próprio Figueirense.

    – Vamos identificar os torcedores e se for identificado como sócio, é expulsão sumária. Vamos tomar medidas que a justiça nos permite, impedindo entrada e para que não façam isso novamente - falou o presidente Francisco de Assis Filho.

    Os torcedores identificados pela polícia assinaram um termo circunstanciado, no próprio Orlando Scarpelli, e foram liberados.

    Agressões ocorreram entre os próprios torcedores do Figueira
    (Foto: )

    Acrílicos ao redor do gramado foram quebrados por torcedores depois da confusão iniciada, em que a polícia entrou no gramado e foi acionada para conter a confusão. Parte deles quebrava o acrílico e a confusão foi gerada pelos que tentavam conter da depredação. O prejuízo ainda será calculado pelo Figueirense.

    – Tivemos recentemente R$ 22 mil de gastos com troca de placas que estavam trincadas e com a parceria de uma empresa que nos ajudou. Isso se repetir é algo inaceitável. É prejuízo financeiro ao clube, fora os prejuízos de legislação esportiva. Esse torcedor não interessa ao Figueirense – reiterou o presidente do clube.

    Após o jogo, o Figueirense publicou uma nota de repúdio sobre o episódio na partida contra o Avaí. O clube menciona também que pretende cobrar providências no âmbito esportivo, inclusive contra o jogador Bruno Silva, do Leão. Veja trecho da nota:

    "O Figueirense Futebol Clube vem a público repudiar com veemência os atos de violência e vandalismo praticados por alguns torcedores – uma minoria, que de forma alguma representam a enorme e apaixonada torcida alvinegra -, no clássico deste domingo (02), contra o Avaí, no Estádio Orlando Scarpelli.

    (...)

    O Figueirense Futebol Clube trabalha para identificar os infratores – tanto os que causaram prejuízos ao patrimônio do clube quanto os que praticaram atos de violência -, e vai colaborar com as autoridades para quaisquer investigações que se façam necessárias. O clube também vai exigir daqueles que depredaram o estádio que custeie os reparos e prejuízos".

    Por fim, o Figueirense também repudia as atitudes do atleta do Avaí, Bruno Silva, totalmente antidesportivas, ao provocar de forma hostil os torcedores alvinegros e, durante a confusão, agredir, de forma covarde, o torcedor do Furacão, que já estava imobilizado e não apresentava mais nenhum risco.

    Leia a nota na íntegra neste link.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas