nsc
hora_de_sc

Luto

Filha de Carol Bittencourt faz relato dois anos após morte da modelo

Isabelle, de 19 anos, como viveu o luto

27/04/2021 - 13h26 - Atualizada em: 27/04/2021 - 13h38

Compartilhe

Folhapress
Por Folhapress
Carol Bittencourt e a filha Isabelle
Carol Bittencourt e a filha Isabelle
(Foto: )

Isabelle Bittencourt, 19, filha da modelo Carol Bittencourt, desabafou sobre a morte da mãe em um vídeo publicado em suas redes sociais. Carol faleceu em abril de 2019, após cair de uma lancha durante um passeio em Ilha Bela, no litoral norte de São Paulo.

> Paulo Gustavo está há sete dias sem complicações relevantes, diz novo boletim

"Uma das perguntas que mais recebo no Instagram é sobre como superei e como consegui seguir adiante. Acho muito importante que pessoas que passam por situações parecidas consigam ter relatos de outras pessoas. Então, decidi dar o meu relato", começou Isabelle.

Ela conta que o momento foi "difícil de digerir". "Minha avó que estava mal, meu avô e meu padrasto. Eu queria abraçar todas essas pessoas e trazer para perto", disse, "tomei o papel de quem cuida e não de quem é cuidada. Naquele momento, eu precisava ser cuidada."

"Acabei tomando esse papel porque eu queria. Só que eu não tinha noção de como isso poderia me prejudicar futuramente", continuou. Ela conta que suas crenças foram prejudicadas e ela passou por uma fase de rebeldia, "virei a típica adolescente rebelde", relembra.

> Modelo Carol Bittencourt teria pulado do barco para salvar sua cachorra, diz empresária

"A primeira coisa que questionei e deixei de acreditar foi Deus. Para mim, não era possível Deus ter deixado aquilo acontecer comigo. Para mim, a morte era uma forma de me castigar e castigar a minha mãe. Eu achava muito injusto. Naquele momento, eu parei de acreditar em Deus e fui me perdendo", afirma.

> Corpo de Carol Bittencourt é encontrado em SP, diz TV

"Eu não entendia porque nós tínhamos que ter relações interpessoais. Não entendia por que eu tinha que conviver com a minha família e amigos. Por que eu tinha que ir para a faculdade, escola e trabalhar? Qual o objetivo disso tudo?", continuou.

Ela disse que depois do período de revolta, conseguiu se encontrar, e enxergar a morte da mãe de forma diferente. "Ela estava em outro plano. Um plano onde as pessoas evoluídas estavam, ou seja, aquilo não tinha sido um castigo. Tinha sido uma coisa boa, porque ela já tinha vivido tudo aqui neste mundo."

> Pai da modelo Carol Bittencourt encontrou o corpo da filha

"Ela viveu tudo que tinha para viver. Ela viajou, casou, o que era o sonho dela, teve uma filha e muito sucesso. Ela teve uma carreira linda, por mais que estivesse acabando a faculdade. Creio que tudo isso são fatores que mostram que ela terminou a missão dela aqui", refletiu.

Assista ao relato na íntegra:

Colunistas