nsc
hora_de_sc

Pandemia

Florianópolis começa a vacinar pessoas com 50 anos ou mais com comorbidades; veja as regras

Pacientes com doença renal crônica em diálise, de 18 anos ou mais, recebem as doses nos locais onde fazem o procedimento

10/05/2021 - 09h44

Compartilhe

Maria Eduarda
Por Maria Eduarda Dalponte
Pontos fixos de vacinação em Florianópolis ficarão abertos durante toda a semana
Pontos fixos de vacinação em Florianópolis ficarão abertos durante toda a semana
(Foto: )

A vacinação de pessoas com comorbidades em Florianópolis continua nesta segunda-feira (10) com a aplicação da primeira dose em pessoas de 50 anos ou mais. Além do documento oficial com foto, é preciso levar um atestado médico relatando a comobidade ou a condição de deficiência permanente.

> Vacina da Pfizer reduz em 86% infecções assintomáticas, diz estudo em Israel

> As diferenças entre as vacinas da Pfizer, Astrazeneca e Coronavac

As pessoas com doença renal crônica em diálise, de 18 anos ou mais, serão vacinadas nos locais onde fazem o procedimento. O próprio serviço fará o agendamento do dia de vacinação. 

O público que possui comorbidades e está acamado ou com dificuldade de locomoção precisa entrar em contato com a equipe de saúde mais próxima para fazer o agendamento da vacinação em domicílio.

A vacinação de profissionais de saúde autônomos de 18 anos ou mais continua ocorrendo na SEAD/UFSC, no Centro de Florianópolis, das 7h30 às 18h30.

Público-alvo

Acima de 18 anos:

- Pessoas transplantadas de órgão sólido ou de medula óssea

- Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC)

> Vacina de pessoas com comorbidades: Biguaçu define datas e grupos prioritários

Acima de 50 anos:

- Pessoas com Deficiência Permanente

- Pessoas com Comorbidades:

Diabetes mellitus; Pneumopatias crônicas graves; Hipertensão arterial resistente (HAR); Hipertensão arterial estágio 3; Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade; Insuficiência cardíaca (IC); Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; Cardiopatia hipertensiva; Síndrome coronarianas; Valvopatias; Miocardites e Pericardiopatias; Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; Arritmias cardíacas; Cardiopatias congênita no adulto; Prótese valvares e dispositivos cardíacos implantados; Doença cerebrovascular; Doença renal crônica; Imunossuprimidos; Hemoglobinopatias graves; Obesidade mórbida; Síndrome de down; Cirrose hepática. 

> Lages retoma 2ª dose da Coronavac; quem tem mais de 50 anos e com comorbidades começa ser imunizado

Pontos de vacinação 

Nesta segunda-feira, entre às 9h e 16h, o público-alvo será vacinado nos sistemas drive-thru e pontos fixos. A partir de terça-feira (11), a vacinação acontece apenas nos pontos de pedestre.

Drive-thru

- Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira;  - Centro de Eventos da UFSC;  - Beira-mar Continental;  - Antigo Aeroporto.

> Joinville abre agendamento da vacina contra a Covid-19 para pessoas com comorbidades

Pedestre

- Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira;  - Centro de Eventos da UFSC;  - Beira-mar Continental;  - Antigo Aeroporto; - Floripa Shopping.

A lista completa de comorbidades, modelo de atestado e comprovações aceitas para as comorbidades estão no site da prefeitura de Florianópolis.

Aquelas pessoas que estão nesse grupo prioritário, mas não conseguem se locomover até os locais de vacinação, podem contar com corridas gratuitas do aplicativo 99. Após baixar o aplicativo, é preciso entrar em contato pelo WhatsApp com o número 32391511 das 13h às 19h, de segunda a sexta-feira e se identificar com nome completo, CPF e comprovante de residência.

> Auxílio emergencial de Florianópolis será votado nesta semana na Câmara

Documentação

Para realizar a vacinação é preciso levar um documento oficial com foto. Para comprovação de comorbidades, as pessoas precisam levar um atestado seguindo o modelo do site Covidômetro Floripa, ou atestado que conste a indicação descrita como padronizado na lista de comorbidades. Para diabéticos, pode ser usada receita de insulina (validade do último ano) e, para pessoas vivendo com hiv, pode ser usado resultado de carga viral, receita de antiretroviral ou o atestado.

> Criciúma baixa de mil casos de Covid, mas ainda é a segunda no ranking de SC; veja números

Aqueles cadastrados no BPC precisam apresentar, além do documento oficial com foto, um atestado médico relatando a condição de Deficiência Permanente e o cartão de beneficiário do programa com início 87.

*Sob supervisão de Raquel Vieira

Leia também

Falas sobre a China não afetam a vacinação, avalia especialista

"Nunca vou ouvi-la dizer mãe": o drama de quem perdeu a filha no ataque a creche em Saudades

Vídeo: policial é atropelado ao abordar motorista em Florianópolis

Colunistas