nsc
    hora_de_sc

    Pandemia

    Em Florianópolis, 1º dia de novas restrições tem fiscais nas ruas e estabelecimentos autuados

    Capital voltou a ter medidas mais duras para tentar conter coronavírus

    24/06/2020 - 10h22 - Atualizada em: 24/06/2020 - 11h34

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    Lanchonetes foram atuadas por descumprirem decreto em galeria do Mercado Público
    Lanchonetes foram atuadas por descumprirem decreto em galeria do Mercado Público
    (Foto: )

    Florianópolis voltou a ter restrições mais duras nesta quarta-feira (24) como medida para tentar conter o avanço do coronavírus. No Centro da Capital, o dia começou com fiscais nas ruas para dar cumprimento ao novo decreto assinado pelo prefeito Gean Loureiro. Pelo menos dois estabelecimentos foram autuados. 

    Com as novas medidas, shoppings, galerias e academias foram proibidas de abrir, enquanto restaurantes e bares têm restrições de horários. Nos supermercados, a limitação da capacidade passou a ser de 30%. Além disso, o uso de máscara se tornou obrigatório em toda a cidade, com multa de R$ 1.250 para quem não respeitar a medida, podendo chegar a R$ 2,5 mil se for reincidente.

    Nas primeiras horas da manhã, a Guarda Municipal e a Vigilância Sanitária autuaram duas lanchonetes na galeria do Mercado Público. Os estabelecimentos atendiam pessoas nos local, o que não é permitido porque o espaço é fechado. Apenas as lojas viradas para a rua podem abrir, além das peixarias e açougues.

    Para Fernando Ivo de Souza, proprietário de uma das lanchonetes autuadas no Mercado Público, as medidas estipuladas pela prefeitura “não têm lógica”. Ele também disse que abriu as portas para o público porque houve divergências de informação.

    — O decreto fala uma coisa, mas a informação que tínhamos é que o nosso comércio era considerado de rua e que poderíamos abrir — disse o proprietário.

    Por outro lado, na fila de um supermercado também no Centro, uma funcionária pública que aguardava ser autorizada a entrar no local afirmou que concorda com as novas restrições impostas na Capital.

    — Como funcionária da área da saúde eu acho que isso está certíssimo — comentou a mulher, que preferiu não ter o nome divulgado.

    Galeria fechada em Florianópolis
    Galeria com as portas fechadas na manhã desta quarta em Florianópolis
    (Foto: )

    Concordando ou não, a maioria dos estabelecimentos parecia respeitar as novas normas nesta manhã. Afora a ocorrência na galeria do Mercado Público, outras galerias do Centro estavam com as portas fechadas. Em uma delas, uma funcionária orientava os clientes que chegavam. Apenas aqueles que se dirigiam à lotérica localizada no interior do espaço eram autorizados a passar.

    Academias também amanheceram sem funcionar. Pelas ruas, o uso de máscaras era respeitado por grande parte da população. Nas quase duas horas em que a reportagem percorreu as vias centrais da Capital catarinense, não houve nenhum registro de desrespeito à medida.

    Florianópolis soma 1.181 casos confirmados de coronavírus e 13 mortes pela doença, de acordo com a última atualização da Secretaria de Estado de Saúde (SES), divulgada nesta terça-feira (23). Nas últimos dias, a cidade registrou um aumento de confirmações diárias da doença, o que colocou as equipes de saúde em alerta. 

    Em entrevista nesta terça ao Bom Dia Santa Catarina, da NSC TV, o secretário municipal de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva, disse que cidade passou de uma média de 10 novos casos de Covid-19 por dia para cerca de 30. Ainda de acordo com ele, caso as novas medidas de restrição não fossem tomadas, as projeções apontavam para um esgotamento do serviço de saúde em 15 dias.

    As novas medidas de restrição na Capital foram anunciadas na segunda (22). Entidades do setor prodtutivo reclamaram da decisão. Para a Associação Brasileiras de Bares e Restaurantes em Santa Catarina (Abrasel-SC), a medida foi considerada "incoerente e injusta". Na tarde de terça, lojistas e empresários fizeram protesto no Centro da cidade.

    A princípio, as regras têm validade de 14 dias. Além das medidas para o setor produtivo, o uso de praias e de áreas como quadras esportivas também está proibido. Uma força-tarefa que reúne Polícia Militar, Guarda Municipal e Vigilância Sanitária atua para fiscalizar o cumprimento do decreto.

    As cidades de São José, Palhoça e Biguaçu, na Grande Florianópolis, também anunciaram novas restrições contra o coronavírus após a decisão da Capital. Porém, nesses municípios as novas normas são mais brandas. Assim como em Florianópolis, elas passam a valer nesta quarta e têm duração inicial de 14 dias.

    Veja mais fotos

    Polícia Militar auxilia na fiscalização em Florianópolis
    PM auxilia na fiscalização de restrições no Centro de Florianópolis
    (Foto: )

    Galeria fechada no Centro de Florianópolis
    Novo decreto proíbe funcionamento de shoppings e galerias
    (Foto: )

    Centro de Florianópolis durante a pandemia
    Florianópolis tem novas restrições contra a Covid-19 a partir desta quarta
    (Foto: )

    Mercado Público de Florianópolis
    Lanchoentes em galeria do Mercado Público foram autuadas na manhã desta quarta
    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas