nsc
an

Imunização

"Foi emocionante", conta enfermeiro de Joinville que vacinou avó contra o coronavírus

Ele trabalha desde o início da pandemia na linha de frente de combate à Covid-19

04/03/2021 - 13h37 - Atualizada em: 04/03/2021 - 18h18

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Gustavo ao lado da avó, Marlene, após a vacinação
Gustavo ao lado da avó, Marlene, após a vacinação
(Foto: )

Um enfermeiro de Joinville teve a emoção de vacinar a avó, de 80 anos, contra a Covid-19 após um ano de atuação na linha de frente no combate ao coronavírus. O momento histórico para toda a família aconteceu na última segunda-feira (1) na Central de Imunização, instalada no Centreventos Cau Hansen.

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

Gustavo Henrique Quintino, de 25 anos, atua como técnico em enfermagem há quase seis anos em Joinville. Ele trabalhava no posto de saúde do bairro Jardim Paraíso, antes de ser convocado para ajudar na imunização contra a Covid-19 em fevereiro. Desde o início da pandemia, o enfermeiro já atuava na linha de frente em plantões no Hospital São José e em fins de semana na Vigilância Epidemiológica.

Para ele, a experiência de vacinar as pessoas contra uma doença que tem ajudado a combater ao longo do último ano é muito gratificante. Mas a sensação de imunizar a própria avó, Marlene Reeck, foi ainda mais especial e vai ficar registrado na memória para sempre.

- Nós, profissionais da saúde, vamos ficar na história por tudo que temos feito e passado, mas ter vacinado minha avó foi algo inexplicável. Foi extremamente gratificante e emocionante - descreve.

> Internações por Covid-19 continuam crescendo em Joinville; elevação chega a 32% em uma semana

Momento de felicidade após morte da tia

A oportunidade de neto e avó passarem por esse momento juntos também foi de felicidade para toda a família, para quem a pandemia tem sido dolorosa. Além de tudo que presencia no dia a dia como profissional da saúde, Gustavo ainda precisou viver o luto de perder a tia, Sandra, para a doença em 2020.

- A gente ficou bem traumatizado porque foi uma despedida bem dolorosa. Não pudemos ter velório, fizemos só o sepultamento, então foi bem triste para toda a família - recorda Gustavo.

> Opinião: Lockdown em SC é necessário e urgente

Com a primeira dose da vacina aplicada em Marlene, a família começa a ficar um pouco mais tranquila em visitar a avó. Até então, havia muito medo em transmitir algo para a idosa, que é cardíaca e precisa tomar anticoagulantes devido aos problemas de saúde.

Avó sai em defesa da vacina

A condição de saúde de Marlene sempre a deixou apreensiva para tomar vacinas. Por isso, a família precisou ir até a casa da idosa para explicar a importância e os benefícios da imunização contra a Covid-19. A conversa aconteceu no último domingo, após o anúncio de que os idosos com mais de 80 anos poderiam ser vacinados.

- Ela sempre foi bem resistente para tomar até a vacina da gripe porque tem alguns problemas de saúde, então acha que qualquer coisa vai dar problema. E ela também tem medo de agulha - conta o neto.

Após muita conversa, Gustavo convenceu a avó a fazer a imunização. Marlene disse que não sentiu dor alguma na hora da vacina e atribuiu o feito às mãos do neto. Imunizada com a primeira dose, ela agora aconselha à todos que tomem a vacina para se prevenir.

Leia também

> Com demanda por até 100 médicos, Joinville abre contratação emergencial

> MP apoia em Joinville proposta de divulgação de lista de vacinados contra Covid-19

Colunistas