Casas localizadas na comunidade Mariele Franco, na região do Alto da Caieira, bairro Saco dos Limões, em Florianópolis, foram demolidas em uma ação na manhã desta sexta-feira (23). Os serviços envolveram uma retroescavadeira, servidores da prefeitura e tiveram apoio da Polícia Militar. Não foi detalhado quantas edificações foram removidas e de que tipo.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

A ação ocorreu sem registros de confusão entre os envolvidos. Moradores relataram que somente casas ainda não marcadas pela prefeitura é que foram alvo da intervenção. A região é alvo de uma disputa na Justiça. A prefeitura tenta retirar do local casas e construções da localidade, que recebeu uma ocupação desde 2017. A intenção seria usar o terreno para implantar programas de moradia.

O município chegou a obter uma ação de reintegração de posse para a localidade. Uma audiência de conciliação estava marcada para o começo de março, mas foi cancelada por uma decisão da semana passada. O motivo é que o impasse passaria a ser analisado também por uma comissão de soluções fundiárias criada pela Justiça de SC.

Veja fotos da ação no Saco dos Limões

Continua depois da publicidade

Terreno já foi alvo de ação no ano passado

Segundo a última decisão pública sobre o caso, em junho de 2023 houve uma demolição de edificações em construção, com retirada de ligações clandestinas de energia elétrica e derrubada de um barracão desocupado. Quinze imóveis que estavam habitados na ocasião foram preservados. À época, o município informou à Justiça que pretendia analisar melhor o perfil socioeconômico dos ocupantes e avaliar possível inclusão deles a programas habitacionais, além de aguardar possíveis desocupações voluntárias.

Procurado pela reportagem, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) informou que não é autor da ação e que o assunto é acompanhado pela Justiça. A reportagem tentou contato com moradores, que não quiseram comentar o caso. A prefeitura de Florianópolis também foi procurada, mas não respondeu até a noite desta sexta.

Leia também

MP vai investigar uso de pessoas em situação de rua em estacionamento ilegal na Fenaostra

Refém é libertada após PM atirar contra ex-companheiro em SC

Destaques do NSC Total