Os pescadores de Florianópolis capturaram um grande lanço de tainha na praia dos Ingleses, no Zinga, na manhã desta terça-feira (11). Os peixes acabaram de ser retirados, portanto, ainda não foram contabilizados. De forma prévia, de acordo com Marcelo Alcioni, do Informações de Pesca e Oceano, a estimativa é de 20 mil peixes.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Imagens do lanço mostram diversas tainhas na areia, com pescadores ainda puxando as redes. Na sequência, os peixes devem ser contabilizados e colocados em caixas com 12 unidades cada.

Veja fotos do lanço desta terça-feira

Maior captura do ano foi em Rancho Saragaço

Até então, oficialmente, a maior captura de Florianópolis pertence a Prainha da Barra da Lagoa, que pescou 22 mil tainhas no dia 9 de junho. Na sequência, vem o Rancho do Saragaço, na Barra da Lagoa, que pescou 18.600 peixes em 22 de maio. Em toda Santa Catarina, o maior lanço foi de 29.030 tainhas, do rancho Ingleses, na Praia do Retiro dos Padres, em Bombinhas, no dia 24 de maio.

Continua depois da publicidade

Nos últimos dias, vários lanços vêm pegando um bom número de tainhas em Florianópolis. Na Lagoinha do Norte, também em 8 de junho, foram capturadas mais de 7 mil animais.

Até o dia 10 de junho, na última atualização do Tainhômetro, a Barra liderava entre as praias de Florianópolis, com 46.260 tainhas capturadas desde o início da temporada. Em seguida, vem a Prainha Barra da Lagoa (40.684) e Lagoinha do Norte (38.761).

Suspensão da pesca anilhada

No início de junho, o Ministério da Pesca e Aquicultura proibiu a pesca artesanal de emalhe anilhado da tainha, depois de apenas 19 dias do início da temporada de pesca. O motivo é porque mesmo nesse curto período, a safra já alcançou a cota coletiva da modalidade.

A restrição é válida para as embarcações com o chamado emalhe anilhado, barcos a motor que realizam a captura no mar, em uma das modalidades de pesca artesanal. Já a pesca de arrasto de praia, feita com barcos sem motor e com redes recolhidas nas orlas, permanece sem cotas e pode continuar.

Continua depois da publicidade

A safra industrial de tainha, por outro lado, teve início no dia 1º de junho e continua até 31 de julho, ou até atingir as cotas estabelecidas (480 toneladas, no caso da pesca industrial).

Leia também

Pescadores capturam 22 mil tainhas no maior lanço da temporada na Capital

Aumento da cota da tainha fica abaixo do esperado e frustra pescadores em SC

Como a caça às baleias mudou SC e quase levou espécie à extinção

Destaques do NSC Total