nsc
    dc

    Prevenção

    Frio exige cuidados no uso de lareiras e aquecedores; confira dicas de segurança

    Utilização de lareiras ecológicas já provocou dois incêndios na última semana em Florianópolis. Veja recomendações dos bombeiros para evitar acidentes domésticos

    20/08/2020 - 14h00 - Atualizada em: 20/08/2020 - 14h43

    Compartilhe

    Jean
    Por Jean Laurindo
    Reabastecimento de lareiras ecológicas é uma das situações de risco apontadas por bombeiros e que já causaram incêndios em Florianópolis (foto)
    Reabastecimento de lareiras ecológicas é uma das situações de risco apontadas por bombeiros e que já causaram incêndios na última semana em Florianópolis (foto)
    (Foto: )

    A onda de frio que avança sobre Santa Catarina e pode provocar até neve em algumas regiões faz mais pessoas recorrerem a lareiras, aquecedores e fogões a lenha para aquecer os ambientes.

    > Como ver ao vivo a neve em SC: vídeos mostram condições do tempo no Estado

    Mas esses equipamentos também podem provocar acidentes domésticos caso não sejam adotados cuidados durante a utilização. Somente na última semana, dois incêndios registrados em Florianópolis se originaram do uso das chamadas lareiras ecológicas, que utilizam combustível líquido.

    Um dos incêndios ocorreu no bairro Agronômica, na sexta-feira da última semana. O outro caso ocorreu dois dias depois, no domingo, no Centro da Capital. As duas situações provocaram sustos e danos materiais em apartamentos, mas não deixaram vítimas.

    Segundo a Diretoria de Segurança contra Incêndio do Corpo de Bombeiros Militar de SC, o Estado já registrou 33 incêndios originados de lareiras, aquecedores ou fogões a lenha em 2020. O número segue ritmo semelhante ao ano passado, quando houve 48 acidentes deste tipo causados por esses equipamentos, mas mesmo assim expõe a necessidade dos cuidados.

    O capitão Ismael Mateus Piva, da Diretoria de Segurança Contra Incêndio do Corpo de Bombeiros alerta que, por causa da pandemia do novo coronavírus, a tendência é de que mais pessoas permaneçam em casa e recorram às lareiras e aquecedores para atenuar os dias de frio extremo em SC. Com isso, o risco de acidentes domésticos fica maior.

    > Renato Igor: A neve que encanta é a mesma que afeta quem não tem moradia digna

    O capitão afirma que dois terços das ocorrências de incêndio costumam ocorrer por imperícia, imprudência ou negligência humana, o que explica a necessidade de atenção.

    Risco no reabastecimento de lareiras

    Segundo ele, um dos principais riscos ocorre no reabastecimento das chamadas lareiras ecológicas. A recomendação é para que isso só seja feito quando a lareira estiver completamente fria.

    – Quando a pessoa abastece a lareira pela primeira vez, a lareira está fria, ela usa algum objeto para criar distância da lareira e costuma não ter problema. O problema ocorre ao reabastecer. Com algum calor que ainda exista na lareira ou alguma chama que pessoa não consegue ver porque é muito clara, na hora de colocar o combustível acaba acontecendo uma explosão – alerta. 

    Lareiras convencionais também exigem cuidados para evitar possíveis incêndios
    Lareiras convencionais também exigem cuidados para evitar possíveis incêndios
    (Foto: )

    Dicas de segurança para uso de lareiras e aquecedores

    – Lembre-se que para usar qualquer tipo de aquecedor é necessário ventilar o ambiente para garantir a renovação do ar. Isso é necessário até mesmo por envolver possível risco de morte por asfixia, devido ao consumo de oxigênio no local, ou por intoxicação com monóxido de carbono;

    – Cheque se a instalação do equipamento está em local seguro, longe de cortinas, sofás, camas, móveis e outros materiais inflamáveis. Não coloque nenhum material combustível sobre os aquecedores, porque em caso de incêndio eles irão propagar rapidamente as chamas;

    – Mantenha crianças, idosos e animais de estimação distantes de lareiras ou fogões a lenha e fique atento em caso de uso de aquecedores;

    – Os aquecedores elétricos devem ser certificados pelo Inmetro. Antes de ligá-los, verifique a voltagem e se não é preciso fazer uma manutenção ou limpeza;

    – Lareiras devem ter tela metálica, com malha entre 2 e 5 milímetros de espessura, para evitar que as fagulhas se propaguem para fora do local de queima. Não se esqueça de usar material próprio e não colocar lenha em excesso. Nunca deixe o local sem se certificar que o fogo está extinto. De preferência use um anteparo não combustível (tapete de metal ou material que não propague fogo) na frente de fogões e lareiras;

    – Em caso de lareiras que utilizem combustível líquido, chamadas de lareiras ecológicas, siga as recomendações dos fabricantes e nunca manuseie a lareira ecológica com o equipamento quente, uma vez que isso pode ocasionar uma explosão – o líquido combustível com o calor gera uma nova chama. Essa situação já ocasionou incêndios e vítimas neste ano em Santa Catarina, como os episódios recentes em Florianópolis.

    – Antes de acender lareiras e fogões a lenha, verifique a instalação das chaminés, se estão em perfeitas condições e em locais seguros.

    – Não usar nada improvisado para simular lareiras ou formas de aquecimento.

    – Não fazer fogo em churrasqueiras portáteis dentro de casa com o objetivo de aquecer o local. A chama pode se propagar por qualquer descuido e causar um incêndio.

    – Deixar a porta do fogão a lenha fechada para evitar risco de propagação.

    Fonte: Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBM-SC)

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas