nsc
dc

Economia

Gasolina em SC não vai ficar mais barata com redução do preço nas refinarias, diz sindicato

De acordo com relatório da ANP, que analisou os preços de combustível de 5 a 11 de dezembro, a média da gasolina comum em Santa Catarina é de R$ 6,54

15/12/2021 - 17h00

Compartilhe

Gabriela
Por Gabriela Ferrarez
Segundo o economista, mesmo que os preços de fato ficassem mais baratos no Estado, a diferença não seria relevante
Segundo o economista, mesmo que os preços de fato ficassem mais baratos no Estado, a diferença não seria relevante
(Foto: )

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (14) a primeira redução no preço da gasolina nas refinarias em quase seis meses. Apesar da queda de 3%, que começa a valer nesta quarta (15), o sindicato de postos de combustíveis e um economista procurado pela reportagem concordam que a decisão pode não impactar em um preço mais barato do litro em Santa Catarina.

> ​Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

De acordo com o relatório mais recente da Agência Nacional de Petróleo (ANP), que analisou os preços de combustível de 5 a 11 de dezembro, a média do litro da gasolina comum em SC é de R$ 6,54. Essa média havia sido prevista pelo Sindicato dos Postos de Combustíveis da Grande Florianópolis no fim de outubro.

Segundo Joel Fernandes, vice-presidente do sindicato, a gasolina que barateou na refinaria não é a que chega nos postos de gasolina. O sindicalista explica que o combustível nas bombas é uma mistura de gasolina com etanol, o que significa que a redução pode ser de cerca de 5 centavos, um valor menor que os 10 centavos anunciados pela Petrobras.

> O que você pode comprar com um tanque de gasolina em 2021

— Eu acredito que não vá influenciar em uma gasolina que já é uma das mais baratas do Brasil e que ainda está em promoção. Além disso, eles baratearam a gasolina tipo A, e a nossa é uma mistura da tipo A com etanol. Então, nós não acreditamos que isso vai impactar a nível de bomba — avalia Fernandes.

Segundo projeção do sindicato em julho deste ano, o combustível no segundo semestre poderia chegar a R$ 7. No entanto, uma manobra da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) fez com que o valor do barril do petróleo diminuísse em quase 17 dólares no início de dezembro.

Para o economista e professor da Esag na Udesc, Adriano de Amarante, um grupo de fatores pode fazer com que a redução na refinaria não afete os preços em Santa Catarina. Segundo ele, mesmo que os preços de fato ficassem mais baratos no Estado, a diferença não seria relevante.

— Não vai ser uma queda de 3% porque tem os custos dos postos, que a inflação proporcionou. Se o combustível que chega aos postos é uma mistura, por exemplo, o preço da gasolina pode ter barateado, mas o etanol não. O mesmo pode acontecer com o frete até os postos. Então, pode haver uma queda, mas muito pequena. Talvez até imperceptível — analisa o economista.

> Encher o tanque de gasolina está 91 reais mais caro em SC

Apesar do preço anunciado pela Petrobras passar a valer a partir desta quarta-feira (15), Adriano salienta que mesmo que reduza, o novo valor pode não chegar às bombas a tempo do Natal ou Ano Novo, por uma questão de logística. Já o sindicalista Joel Fernandes afirma que, mesmo que os preços não reduzam, a gasolina não deve ficar mais cara até o fim do ano.

A respeito de 2022, o economista não acredita que a diminuição de preços, principalmente no que diz respeito à gasolina, aconteça de maneira rápida.

— É possível que os preços diminuam, mas não vai ser tão veloz quanto os aumentos desse ano. Então, as quedas podem ser muito sutis, porque a economia está se recuperando — especula o professor.

Leia também

Com alta de 9,8% do PIB até setembro, economia de SC mostra fôlego para 2022

Bolsa-estudante é aprovada na CCJ com acordo de líderes

Moraes, do STF, rejeita pedido e mantém inquérito contra Bolsonaro

Colunistas