nsc
    dc

    Saúde

    Governador Carlos Moisés: "Se o cidadão não participar, nenhuma medida será suficiente"

    Moisés falou em entrevista ao NSC Notícias neste sábado (28)

    28/11/2020 - 18h41 - Atualizada em: 29/11/2020 - 07h50

    Compartilhe

    Marina
    Por Marina Martini Lopes
    Neste sábado, Moisés se reuniu com representantes de hospitais, prefeitos e secretários de saúde
    Neste sábado, Moisés se reuniu com representantes de hospitais, prefeitos e secretários de saúde
    (Foto: )

    Depois de realizar uma série de reuniões referentes ao enfrentamento da pandemia de coronavírus na tarde deste sábado (28), o governador Carlos Moisés da Silva falou brevemente sobre o assunto em entrevista ao jornalista Fabian Londero, no NSC Notícias. Depois de ser absolvido em processo de impeachment nesta sexta-feira (27) e reassumir o cargo, Moisés afirmou "já ter recebido o Estado nessa condição, com o mapa praticamente todo vermelho."

    - O número de casos ativos certamente preocupa - comentou, referindo-se ao número de mais de 30 mil pessoas contaminadas atualmente. - É importante estarmos dialogando sobre isso aqui, agora, para chamar a atenção das pessoas. Temos que intensificar o diálogo com a população.

    Embora diga que "não podemos negar o fato da gravidade da doença", o governador também não julga que seria prudente fazer um lockdown como o decretado no último mês de março, no início da pandemia de coronavírus.

    - Não seria o caso de adotar medidas tão intensas quanto fizemos em março, mas entendemos que há espaço para medidas junto às prefeituras. - disse. - Precisamos ser parceiros dos prefeitos no enfrentamento da crise.

    Moisés propõe ações em duas frentes: na atenção à saúde e na conscientização da população - destacando que a participação do indivíduo é essencial para conter a disseminação do coronavírus.

    - Se o cidadão não participar, nenhuma medida será suficiente. - afirmou. - Os estabelecimentos também precisam se conscientizar: é melhor ter atividades regradas do que atividades proibidas. Santa Catarina vem sendo considerado um dos melhores estados no enfrentamento da crise até agora. Temos que nos manter vigilantes para não perder a mão.

    O governador também garantiu que intensificar a fiscalização é uma das principais metas para as próximas semanas.

    Governador anuncia R$ 44 milhões para reativação de leitos de UTI em SC

    O enfrentamento à Covid-19 foi retomado com prioridade pelo governador Carlos Moisés da Silva na tarde deste sábado (28). Em webconferência com presidentes de associações e diretores de hospitais filantrópicos, o chefe do Executivo estadual garantiu o repasse de R$ 44 milhões, até 31 de dezembro, para reativação imediata de 205 leitos de UTI para tratamento da doença. Além disso, anunciou a prorrogação da Política Hospitalar Catarinense (PHC) em teto máximo por mais 10 meses.

    O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, explicou que os leitos haviam sido ativados no início da pandemia e foram desligados, gradativamente, de acordo com a diminuição no número de casos. Motta Ribeiro também destacou que o cronograma de pagamentos será rigorosamente planejado e informado aos gestores hospitalares.

    A medida de prorrogação da PHC e reativação dos leitos atende a uma das frentes de trabalho no enfrentamento da nova fase da doença - a segunda frente, conforme o governador, é o controle social, reduzindo a exposição das pessoas ao vírus. As ações nesse plano de atuação foram debatidas com os municípios em uma segunda parte da reunião, dessa vez com a Fecam.

    Depois da reunião com representantes dos hospitais, o governador Carlos Moisés se reuniu, via webconferência, com o presidente da Fecam, Paulo Weiss, prefeitos e secretários de saúde. A eles, Moisés apresentou as medidas adotadas na área da Saúde e reforçou a importância do trabalho alinhado com os municípios para conter os índices de contaminação em todas as regiões.

    O governador reforçou que as ações de controle social serão definidas em conjunto entre Estado e municípios, com a participação de demais órgãos e poderes. Neste primeiro momento, estão sendo debatidos o reforço na fiscalização e medidas de prevenção no transporte coletivo urbano. Uma nova reunião ficou marcada para a próxima segunda-feira, dia 30 de novembro, para definição consensual sobre os temas.

    Acompanharam a reunião, prefeitos, secretários de saúde, presidentes de associações de municípios, e representantes da diretoria da Fecam. Ainda na tarde deste sábado, o governador se reuniu com os comandantes-gerais do Corpo de Bombeiros, coronel Charles Alexandre Vieira, e da Polícia Militar, coronel Dionei Tonet, e do presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial e delegado geral da Polícia Civil de SC, Paulo Koerich, para tratar do apoio aos municípios na fiscalização do cumprimento das medidas de enfrentamento à Covid-19.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas